Festival do Sesc oferece mais de 30 atividades culturais gratuitas no país

 

Espetáculos de teatro, dança, circo, oficinas, palestras e atividades de intercâmbio compõem a agenda da 7ª edição do Festival Palco Giratório, que vai de hoje (29) a 30 de maio, no Espaço Cultural Escola Sesc, em Jacarepaguá, zona oeste do Rio de Janeiro. Etapa carioca do projeto Palco Giratório, promovido pelo Serviço Social do Comércio (Sesc) em todo o país, o festival tem como um dos destaques, este ano, a participação do grupo O Teatrão, de Portugal, na abertura da temporada e na oficina de dramaturgia, amanhã (30). Todos os espetáculos e atividades são gratuitos.

Na oficina, dirigida pelo dramaturgo e pesquisador português Jorge Louraço, os participantes são desafiados a escrever um texto inspirado numa das cenas da peça Terror e Miséria no III Reich, do dramaturgo alemão Bertolt Brecht. Louraço também é o responsável pela encenação de Conta-me Como É, espetáculo que o grupo O Teatrão apresenta neste sábado (2), às 16h, na sequência da programação do festival.

Estreado em Portugal, por ocasião dos 40 anos da Revolução dos Cravos, ocorrida em 25 de abril de 1974, Conta-me Como É mostra visões particulares da realidade portuguesa em três peças curtas, de diferentes autores. O festival tem mais três atrações exclusivas, todas de grupos cariocas, que não integram o circuito nacional do Palco Giratório: os espetáculos Bisa Bia, Bisa Bel, de Joana Lebreiro (dia 9, às 15h); O Braile, uma dança às cegas, da Cia PeQuod (dia 22, às 19h30) e Umbigar, de Paula Águas (dia 27, às 19h30).

Curadora do projeto e coordenadora do festival, Viviane da Soledade ressalta que há um diferencial na programação carioca, em relação ao resto do país. “Aqui, nós promovemos o que chamamos de Festival Palco Giratório. Por 30 dias vamos receber todos os espetáculos do circuito nacional e teremos também a participação do Balé Popular do Recife – grupo homenageado, além de O Teatrão, que é nosso convidado”, disse ela.

Fundado em 1976 pelo artista André Luiz Madureira e pelo escritor Ariano Suassuna, o Balé Popular do Recife apresenta – no dia 25, das 10h30 às 17h30 – uma oficina de danças nordestinas, com o objetivo de ensinar os passos básicos de ritmos como frevo, maracatu, ciranda, coco, afoxé e guerreiro. Essas manifestações da cultura popular da região estarão presentes no espetáculo Nordeste – A Dança do Brasil, que o grupo apresentará no dia seguinte (26), às 19h30.