Publicado em 21/12/2018
Atualizado em 21/12/2018

Febre Amarela

Não abra mão da sua saúde por conta de um boato

Sabe o que mata mais que febre amarela? Informação falsa. Com a proximidade do verão aumentam os riscos de transmissão da doença e apesar de o governo alertar para a necessidade da vacinação, muita gente ainda resiste por conta de notícias que circulam na internet. O Sesc foi atrás de esclarecimentos junto a fontes oficiais sobre as principais fakes que rondam as redes sociais. Confira e nos ajude a disseminar informações corretas.

 

- A vacina da febre amarela mata, causa cegueira, paralisa o fígado.

Fake – A vacina tem 99% de eficácia, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). É segura e os eventos adversos graves são extremamente raros. Não é indicada para pessoas com alergia grave ao ovo; portadores de doença autoimune; crianças menores de seis meses; pessoas que vivem com HIV/Aids (com contagem de células CD4 menor que 350 células/mm3); e pacientes em uso de quimioterapia/radioterapia.

 

- A dose fracionada não protege.

De acordo com o Ministério da Saúde e Organização Mundial da Saúde (OMS) a vacinação com dose fracionada apresenta a mesma eficácia que a dose única padrão, com proteção por até dez anos. A fração aplicada é mais de cinco vezes maior que a dose mínima recomendada pela OMS e os vacinados com ela apresentam os mesmos níveis de proteção da dose convencional.

O fracionamento é recomendado pela OMS somente quando há aumento de morte de macacos e de casos da febre amarela silvestre com risco de expansão da doença em cidades com alto índice populacional e quantitativo insuficiente de doses da vacinas . Pessoas que receberem a dose fracionada terão um selo diferente na carteira de vacinação e serão convocadas futuramente para renovação, caso os estudos apontem necessidade de uma nova dose.

 

- A imunização em massa põe em risco a sociedade.

Ao contrário: indivíduos que recebem vacinas fazem com que haja uma diminuição da circulação do agente infeccioso. Aumentar o número de pessoas vacinadas, diminui a chance de transmissão de seus agentes causadores, beneficiando, portanto, indiretamente, toda uma comunidade, inclusive aqueles que não tiveram acesso à vacinação.

 

- Macacos transmitem a febre amarela.

Não. A doença é transmitida pela picada de mosquitos vetores, entre eles os dos gêneros Sabethes e Haemagogus. O Aedes aegypti, que é também responsável pela transmissão de dengue, zika e chikungunya, pode estar implicado na transmissão urbana. Macacos servem como sentinelas para a elaboração de ações de prevenção.

 

- O vírus da febre amarela sofreu mutações e a vacina não funciona mais.

Não é verdade. Um estudo realizado pelo Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz) para acompanhar possíveis mudanças genéticas no vírus da febre amarela realmente identificou mutações no vírus. Porém, não há qualquer impacto destas mutações para a eficácia da vacina.

 

- O governo adquiriu um estoque muito grande de vacina e faz a campanha para se livrar das doses.

Boato sem fundamento. A vacina usada no Brasil é produzida pela Fiocruz e é certificada pela Organização Mundial da Saúde (OMS). O Brasil é o maior produtor mundial da vacina e exporta para vários países.

 

- A vacina provoca mais mortes que a doença em si.

Fake. Os riscos por não tomar a vacina são maiores, já que a pessoa fica sem uma das principais formas de prevenção contra a doença. A infecção por febre amarela é grave, com até 50% de letalidade, ou seja a cada 10 pessoas infectadas, 5 podem falecer em decorrência da doença. Mortes relacionadas à vacina são extremamente raras.

 

- A vacina possui mercúrio em sua fórmula.

Não. Nem mercúrio nem qualquer outro metal. Conforme descrito na bula, a vacina contra a febre amarela produzida por Bio-Manguinhos/Fiocruz contém excipientes como a sacarose, glutamato de sódio, sorbitol, gelatina bovina hidrolisada, eritromicina e canamicina.

 

- Posso me prevenir sem vacina, tomando própolis.

Própolis não previne contra a febre amarela. A receita de 3 a 6 gotas por dia para que o corpo produza um cheiro desagradável que repele o mosquito transmissor da doença não tem fundamentação científica. Bem como repelentes naturais feitos à base de citronela ou outras ervas não têm eficácia comprovada.

 

Não dê bobeira! Informe-se sempre em fontes confiáveis. Sobre Febre Amarela, você pode saber mais em:
https://portal.fiocruz.br/fiocruz-febre-amarela-perguntas-e-respostas
http://portalms.saude.gov.br/saude-de-a-z/febre-amarela-sintomas-transmissao-e-prevencao





O Sesc no Brasil