Sesc na Flip

O Sesc traz à Festa Literária Internacional de Paraty – Flip 2019 uma mostra das atividades culturais desenvolvidas diariamente em suas unidades por todo o país. Apresentações de teatro, dança, música, cafés literários, exposições, oficinas e outras atrações fazem parte da programação oferecida gratuitamente* em quatro locais: a unidade Santa Rita e a Casa Edições Sesc, no Centro Histórico; a unidade Caborê e o espaço no Areal do Pontal. Em todos eles, a ação cultural do Sesc é voltada para a realização de encontros e a difusão de conhecimentos adquiridos por meio de textos e de suas conexões com outras linguagens artísticas.

 

Para conhecer a programação, clique no dia desejado no topo do site. Sejam bem-vindos!

 

​Acompanhe a cobertura em nossas redes sociais e caso participe de nossas atividades e poste uma foto use a hashtag #SescnaFlip.

 

 

*Em algumas atividades serão distribuídas senhas uma hora antes do evento. 

 

11/7 Quinta-feira

 

 

UNIDADE CABORÊ


10h às 19h – Jardim

Exposição Câmara de Ecos

A arte poética de Wally Salomão (1943-2003) ecoa na voz de diversos artistas, dentro de um ninho feito de sarrafos de madeira e alto falantes espalhados em nichos. Em cada nicho, a gravação de uma voz lendo em sequência nove poemas selecionados. As vozes se atravessam no espaço ecoando palavras, pausas e ritmos.

A ideia da Câmara de Ecos surgiu de uma pergunta-proposição de Heloisa Buarque de Hollanda: como seria ouvir um mesmo poema lido por diferentes vozes, cada voz no seu próprio passo?   A partir daí, o filho de Waly, Omar Salomão, realiza o projeto, junto com o pesquisador sonoro Daniel Castanheira e a cenógrafa Suzane Queiroz.

Waly Salomão é autor de 74 letras e poemas musicados por importantes compositores da MPB, como as canções Mel e A voz de uma Pessoa Vitoriosa com Caetano Veloso e Memória da Pele com João Bosco.
 

10h às 13h – Jardim

Oficina Mini Lambes

Com o artista Paulo Pereira. Espaço para crianças entre 5 a 12 anos pensarem imagens utilizando a linguagem "lambe-lambe"  e dialogando assim com a Arte de Rua e questões ligadas ao pertencimento à cidade.


11h – Palco

Apresentação da banda Čao Laru

O grupo franco-brasileiro é formado por músicos do Brasil e da França, que se conheceram em 2015, em Rennes, na França.  Integram essa banda viajante Noubar Sarkissan, brasileiro com anos de vivência na França e responsável pelo cavaquinho, violão, pandeiro e voz; Laura Aubry (acordeão e voz); Marie Tissier (violoncelo e voz); Cecilia Iovino (sapateado, dança e voz); Felipe Trez (bateria); Fábio Pádua (flauta, clarinete, violão e bandolim) e Pedro Destro (baixo elétrico). Classificação livre.
 

14h – Geodésica Multiuso

Papo 10

O projeto criado pelo Sesc Paraty, que contempla o público jovem da cidade, reúne o MC Pelé do Manifesto, Rincon Sapiência e MC Marechal,  para conversar sobre as vozes periféricas e a construção de repertórios paralelos. Mediação do jornalista André Barcinski.
 

14h30 às 16h –  Jardim

Oficina de Músicas do Mundo

Com Noubar Sarkissian Junior e Livia Carolina de Oliveira - O trabalho se dá através de uma imersão em um repertório de músicas e danças tradicionais que o grupo Banda viajante Čao Laru coletou durante suas turnês, convidando os participantes a brincar (jogos musicais), dançar e cantar em polifonia, em diversos idiomas, sem nunca esquecer dos aspectos culturais e das tradições que carregam cada música trabalhada. Destinado a todos os públicos, não é necessário ser músico, mas é essencial a vontade de compartilhar.


15h às 18h – Jardim

GRAFIQUETA

Ateliê aberto e experimental que enfatiza os processos artísticos e os materializa graficamente, combinando fazeres múltiplos, tecnologia e livros. Para crianças.


16h30 – Jardim

Grupo Afrooyá com o espetáculo DidêManda

Espetáculo de Dança Afro Contemporânea Brasileira formado pelas performances Aurora, Inovação, Águas da Vida, Maculelê, Axé Oyá e um medley Dança de Rua, com músicos ao vivo, baseado nos movimentos das heranças de matrizes africanas, juntamente com a contemporaneidade brasileira em uma união de cultura, tradição, atualidade, ritmo e alegria. Classificação livre.
 

18h – Palco

Apresentação musical de Dandara Manoela

Unindo força e poesia, a cantora apresenta Retrato Falado, seu álbum de estreia. O show transita pelo samba e pela MPB, trazendo à tona resistências, dores, amores, riso e choro, num trato vestido de canção. A cantora estará acompanhada pela banda base formada por UBrother (percussão), Jeff Nefferkturu (violão) e Mateus Romero (contrabaixo). Classificação livre.
 

20h – Teatro

“Concerto de Ispinho e Fulô”, da Cia do Tijolo da Cooperativa Paulista de Teatro

Espetáculo brotado da vida e da obra do poeta Patativa do Assaré sob a ótica das concepções do educador Paulo Freire acerca da formação do sujeito consciente, traz à tona a sua incansável e constante luta pelos direitos igualitários entre os homens, a exaltação à natureza e a sua adorada terra e sua irreverência poética. Vencedor do Prêmio CPT 2009 na categoria Projeto Sonoro. Classificação indicativa 10 anos.


 

UNIDADE SANTA RITA


10h às 19h – Sala de Exposição

Exposição  Alfabeto Maldito

Joélson Bugila e Jorge Menna Barreto se voltam ao universo vegetal e à sua comunicação complexa, partindo especialmente das “ervas daninhas” — les mauvaises herbes: as “ervas malditas”. Nesta que é a sua primeira edição, os artistas contam com a colaboração do produtor e pesquisador Jorge Ferreira e do fotógrafo Rafael Imenes — com os quais passaram por um processo de imersão em campo, no sítio agroflorestal São José, em Paraty. A exposição conta com curadoria de Maykson Cardoso.


10h às 13h – Sala  de Cinema

Gente Lendo Gera Gente Lendo

Realização do Sesc Paraty e Núcleo de Mídias Artes e Tecnologia de Paraty. Formação para criação de um curta metragem doc ficção em vídeo, inspirado no filme Romance, de Guel Arraes. Será apresentado dentro da programação do Sesc na Flip, de 11 a 14 de julho de 2019. Classificação livre.


10h às 11h – Sala de Artes Integradas

Narração de histórias - Núcleo Histórias de Comadres

Criado pela atriz, capoeirista, educadora e narradora de histórias Jordana Dolores, que em parceria com a atriz e musicista Vivian Maria, contarão histórias sobre a capoeira angola, manifestação cultural brasileira de matriz africana que articula diferentes linguagens, como dança, música, dramatização,  brincadeira,  jogo e espiritualidade.


10h às 13h – Espaço Memória

Oficina Jornalismo Literário com Chico Felitti 

(3 módulos, 15 vagas) - jornalista que produziu matéria em 2017 sobre o artista de rua Ricardo Corrêa da Silva, o icônico personagem da rua Augusta na cidade de São Paulo.  No primeiro encontro, um bate-papo sobre o que faz de um assunto interessante virar uma pauta, como determinar se um assunto interessante rende uma boa reportagem e como afinar sua sensibilidade para encontrar boas pautas, que estão em todos os lugares. Cada aluno sai do primeiro encontro com uma ideia de pauta bem definida e recomendações de leitura que possam ajudar na apuração desse universo. 15 vagas.


11h – Palco

Café Literário “Imaginário em Xeque”

Com Nilma Lacerda e Renato Moriconi.  Uma autora e um ilustrador debatem como, diante das tecnologias em expansão, garantir que a nova geração não perca a capacidade de imaginar. Mediação de Ovídio Poli Junior.


11h às 17h – Espaço Criança

Sala de Mediação de Leitura para Crianças – Ler e Brincar é Só Começar! 

Com a pedagoga Wilza Nunes e brincante da Cultura Popular, Lilian Villanova. Classificação livre.


14h – Palco

Café Literário “Literatura tem gênero?”

Com Tobias Carvalho e Amara Moira. Debate sobre como é possível escapar das armadilhas dos rótulos literários de fácil aplicação. Mediação de Marta Barcellos


14h30 às 15h30 – Sala de Cinema

Mostra de Cinema Infantil Identidades

Seis curta que trazem elementos da cultura indígena, afro brasileira e outras questões de identidade. Classificação livre.
Pajerama - 9min.
O dilúvio Maxakali – 12min
Fábula de Vô Ita – 5 min
Òrun Àiyé – A criação do mundo – 12min
Josué e o Pé de Macaxeira – 12min
Vida Maria – 9min.


14h às 17h – Espaço Memória

Oficina Narrativas Negras em quadrinhos

Com Marcelo D´Salete (3 módulos, 15 vagas) - apresenta a história e a estrutura dos quadrinhos, permeadas pela experiência e obra do autor sobre narrativas negras. A atividade inclui exercícios práticos de montagem de cenas de HQ, criação de nova narrativa pelos participantes e conversa sobre os resultados.


14h30 às 16h – Artes Integradas

Lançamento do livro No pulso das Águas

Com a conservação da biodiversidade, educação ambiental, turismo sustentável e ações sociais, realizados em 20 anos, o polo socioambiental Sesc Pantanal cria um legado que inspira outras iniciativas no país e no mundo. O livro No pulso das águas conta a construção desta história, que passa pela vida de muitas pessoas .


16h às 18h – Sala de Cinema

Mostra de Cinema Adulto Identidades

Obras que trazem elementos da cultura indígena, afro brasileira e outras questões de identidade.
Chuva é cantoria na aldeia dos mortos – 114min. História de Ihjãc, jovem da etnia Krahô, que mora na aldeia Pedra Branca, em Tocantins. Após a morte do pai, ele recusa-se a se tornar um xamã e foge para a cidade. Longe de seu povo e da própria cultura, Ihjãc enfrenta dificuldades de seu um indígena no Brasil contemporâneo. Classificação indicativa 10 anos.


17h  – Palco

Café Literário “Literaturas originárias”

Com Márcia Kambeba e Cristino Wapichana. Os autores debatem sobre os desafios contemporâneos da literatura narrada por indígenas. Mediação de Flávio de Araújo.


17h30 às 18h – Sala de Artes Integradas

Performance de Ricardo Aleixo 

Roteiro composto por poemas constantes de sua antologia poética “Pesado demais para a ventania” (Todavia, 2018), que  traz à cena um espetáculo que dialoga com o teatro “pós-dramático”, a radioarte e as práticas performativas africanas e do Atlântico Negro para tratar de temas como a mundialização do racismo, a emergência dos neofascismos, a “necropolítica” (Achille Mbembe), a resistência ativa e outros. Classificação livre.


18h30 às 19h30  – Externo

Vídeo mapping Espaço Tempo Movimento

Proposta artística conceitual, inovadora, com duração de 13 minutos. Gustavo Gelmini, da Cia Gelmini de Videodança, é o criador do vídeo mapping , uma parceria com a Cia Híbrida, com direção coreográfica de Renato Cruz, dramaturgia de Lenine Vasconcellos e música do compositor francês Cyril Hernandez. O trabalho é inspirado na relação da dança com a imagem e o espaço urbano a partir da teoria da relatividade e física quântica.


19h30 às 21h – Sala de Artes Integradas

Da lama ao caos: que som é esse que vem de Pernambuco?

Lançamento do livro da Edições Sesc - Primeiro título da coleção de livros digitais Discos da Música Brasileira, com a participação do autor José Teles e do organizador da coleção, Lauro Lisboa Garcia, ambos críticos musicais. Com o mesmo nome do disco lançado por Chico Science & Nação Zumbi em 1994, o livro reconstrói a trajetória do álbum seminal que transformou a música brasileira.


21h às 22h  – Externo

Vídeo mapping Espaço Tempo Movimento

Proposta artística conceitual, inovadora, com duração de 13 minutos. Gustavo Gelmini, da Cia Gelmini de Videodança, é o criador do vídeo mapping , uma parceria com a Cia Híbrida, com direção coreográfica de Renato Cruz, dramaturgia de Lenine Vasconcellos e música do compositor francês Cyril Hernandez. O trabalho é inspirado na relação da dança com a imagem e o espaço urbano a partir da teoria da relatividade e física quântica.



 

CASA EDIÇÕES SESC


11h - Sobre livros e leitura

Debate sobre a importância da leitura e políticas de incentivo à prática. Com Cristiane Tavares, mestre em literatura e crítica literária, e Sandra Medrano, pedagoga, mestre em didática e especialista em livros e literatura para crianças e jovens.


15h - Eça de Queirós: leituras brasileiras e portuguesas

Lançamento da edição revista e ampliada do livro Ecos do Brasil: Eça de Queirós, leituras brasileiras e portuguesas, que reúne artigos de autores brasileiros e portugueses sobre influências e características da obra de Eça Queirós. Com o professor, crítico literário e organizador da publicação, Benjamin Abdala Jr., e as docentes e autoras de textos do livro Marli Fantini e Elza Miné.


17h - Dissonâncias do progresso

Lançamento do livro Mutações: dissonâncias do progresso com bate-papo entre o professor Eugênio Bucci e o arquiteto Guilherme Wisnik, mediado pelo organizador da série Mutações, Adauto Novaes. Décimo primeiro livro da série Mutações, Dissonâncias do Progresso reúne ensaios que refletem sobre o descompasso entre o progresso no plano material e os valores éticos, sociais e políticos.


19h - A arquitetura de Lina Bo Bardi

Bate-papo com os arquitetos Abílio Guerra e Marcelo Ferraz sobre a arquitetura da ítalo-brasileira Lina Bo Bardi, retratada na coleção que reúne seis volumes com desenhos, plantas e fotografias de seus mais notáveis projetos arquitetônicos, dentre os quais o MASP – Museu de Arte de São Paulo e o Sesc Fábrica da Pompeia.



 

AREAL DO PONTAL


10h às 20h

Bibliosesc


10h às 11h

Intervenção poética Baloeiros

A Cia Ih, Contei! traz para esta intervenção dezenas de balões flutuantes que guardam dentro si um poemas, contos e poesias. O público é convidado a escolher um balão e estourá-lo e assim ouvir o que vem de dentro dele.


11h30 às 12h30

 Leitura com Fernanda Paragussu, A menina que abraça o vento

Mersene é uma garotinha conversadeira e muito esperta que teve que fugir com a mãe e os irmãos dos conflitos de seu país de origem – a República Democrática do Congo – para se proteger no Brasil. O pai não pode vir e, para amenizar a saudade, a menina inventa uma brincadeira. No livro infantil A menina que abraça o vento – a história de uma refugiada congolesa, a autora Fernanda Paraguassu apresenta o tema do refúgio para as crianças.


13h15 às 14h15

Performance Circense com Inepta Cia.

O grupo de Duque de Caxias apresentará uma performance circense para toda a família..


14h30 às 15h30

Bate-papo e lançamento do livro "Todos os escritores têm a cabeça cheia de piolhos", com José Luis Peixoto

Com apenas 27 anos, José Luís Peixoto foi o mais jovem vencedor do Prémio Literário José Saramago. Os seus livros estão traduzidos e publicados em 26 idiomas. O romance Galveias foi o primeiro livro de língua portuguesa a ser traduzido diretamente para o idioma georgiano, tendo acontecido o mesmo ao livro A Mãe que Chovia, que foi o primeiro a ser traduzido diretamente do português para o mongol.


16h30 às 17h30

Oficina Photon Duo de trabalhos manuais para videomapping

Contação de história infantil com tema marítimo, seguida de atividade de desenho e/ou teatro de sombras. Os conteúdos produzidos pelos participantes serão projetados na fachada da unidade Santa Rita, logo após a exibição da obra MAR | Histórias para embalar ondas, a ser realizada pela dupla Photon Duo.


18h15 às 18h45

Intervenção artística com MC Marechal

Rodrigo Vieira, mais conhecido pelo nome artístico MC Marechal é um rapper, compositor, produtor, apresentador e ativista brasileiro. Iniciou sua carreira como MC no ano de 1998, tendo participado do extinto Quinto Andar. Atualmente segue carreira solo.


18h45 às 19h30 

Bate-papo com MC Marechal e Otávio César Junior

Otávio César Júnior é um escritor, ator, contador de histórias e produtor teatral brasileiro que ficou conhecido por abrir a primeira biblioteca nas favelas do Complexo do Alemão e no Complexo da Penha, no estado do Rio de Janeiro. MC Marechal criou, em 2012, o projeto Livrar, que distribui livros de autores independentes pelo Brasil em seus shows.



 

OUTROS ESPAÇOS

 

11h -  Rodoviária

Rio do Samba ao Funk

Cortejo cênico musical criado pelo Bando de Palhaços,  que apresenta a história da música carioca. Dirigido por Fernando Escrich,  aposta na liberdade, no humor e na potência transgressora do palhaço como recursos para a potencialização da qualidade de vida do indivíduo. Um espetáculo para todas as idades.


14h – Ponto do Jipe

A chegada de Godot, o distribuidor de Poemas

Com o ator e diretor Luiz Manuel - performance com um simpático senhor de 75 anos chamado Antonni Godot,  que passeia pelas ruas da cidade trocando afetos com as pessoas. Inspirada na dramaturgia de Samuel Beckett “Esperando Godot”, a performance intervém no cotidiano de transeuntes no meio urbano para uma travar uma simples conversa.


16h – Largo de Santa Rita

“Cordelina”

Intervenção cênica criada pela atriz Odília Nunes, “Cordelina” é a história de uma boneca gigante que saí pelo mundo contando estórias para o povo por onde passa. Em cena uma só atriz, mas duas personagens que conta desde a menina embaixo de um Angico até a velha senhora que reza para tirar os maus olhados do povo sertanejo. Classificação Indicativa 12 anos.

 

 

12/7 Sexta-feira

 

 

UNIDADE CABORÊ

 

10h às 19h – Jardim

Exposição Câmara de Ecos

A arte poética de Wally Salomão (1943-2003) ecoa na voz de diversos artistas, dentro de um ninho feito de sarrafos de madeira e alto falantes espalhados em nichos. Em cada nicho, a gravação de uma voz lendo em sequência nove poemas selecionados. As vozes se atravessam no espaço ecoando palavras, pausas e ritmos. A ideia da Câmara de Ecos surgiu de uma pergunta-proposição de Heloisa Buarque de Hollanda: como seria ouvir um mesmo poema lido por diferentes vozes, cada voz no seu próprio passo?   A partir daí, o filho de Waly, Omar Salomão, realiza o projeto, junto com o pesquisador sonoro Daniel Castanheira e a cenógrafa Suzane Queiroz. Waly Salomão é autor de 74 letras e poemas musicados por importantes compositores da MPB, como as canções Mel e A voz de uma Pessoa Vitoriosa com Caetano Veloso e Memória da Pele com João Bosco.


10h às 13h – Jardim

Oficina Mini Lambes

Com o artista Paulo Pereira. Espaço para crianças entre 5 a 12 anos pensarem imagens utilizando a linguagem "lambe-lambe"  e dialogando assim com a Arte de Rua e questões ligadas ao pertencimento à cidade.

 

11h às 12h30 - Geodésica Multiuso

Projeto Carimbaby

Carimbó para crianças - apresenta músicas e danças populares da Região Norte, que levam ao público infantil uma vivência cultural com outras sonoridades afroameríndias. O grupo musical é formado por: Aline Castro (voz e guitarra), Bárbara Vento (voz e percussão), Diego de Abreu (bateria e percussão), Miguel Bandeira (contrabaixo) e Rômulo Frazão (sax e banjo). (Classificação Livre)

 

14h às 16h - Teatro

Literatura à portuguesa 

Encontro com Pilar Del Rio, presidenta da Fundação José Saramago, e o escritor José Luis Peixoto. Mediação de Henrique Rodrigues. Classificação indicativa 14 anos.



14h30 ás 15h30 – Geodésica Multiuso

Espetáculo Dançar (não) é preciso

Com Esther Weitzman Cia. de Dança -  proposta de levar ao público uma experiência das intensidades espaço-temporais pautadas pelo fluxo contínuo de movimento; uma perspectiva de composição em dança atravessada pela ética/estética do sensível,  do que é o dançar visando a formação inteligente de plateia. Classificação indicativa livre.



15h às 18h – Jardim

GRAFIQUETA

Ateliê aberto e experimental que enfatiza os processos artísticos e os materializa graficamente, combinando fazeres múltiplos, tecnologia e livros. Para crianças.



18h às 19h30 – Palco

Apresentação musical de Cátia de França

Sua música tem como fonte a literatura, fazendo referências às obras de grandes escritores brasileiros. Sua obra mescla as referências regionais a elementos do rock e da cultura pop. Aos 70 anos, a paraibana está sendo descoberta pela nova geração. Classificação indicativa 12 anos.\


20h às 21h – Teatro

“Hotel Mariana”

Espetáculo criado a partir de relatos de sobreviventes da tragédia de Mariana, coletados uma semana após o desastre. Com direção de Herbert Bianchi, que também assina a dramaturgia em parceria com Munir Pedrosa, o projeto Hotel Mariana leva em tom de documentário cênico essa história ao palco, com a expressividade e a emoção de intérpretes que reproduzem depoimentos  de pessoas que perderam tudo ou quase tudo no mais grave desastre ambiental da história do Brasil.  Classificação indicativa 14 anos.
 


UNIDADE SANTA RITA


10h às 19h – Sala de Exposição

Exposição  Alfabeto Maldito

Joélson Bugila e Jorge Menna Barreto se voltam ao universo vegetal e à sua comunicação complexa, partindo especialmente das “ervas daninhas” — les mauvaises herbes: as “ervas malditas”. Nesta que é a sua primeira edição, os artistas contam com a colaboração do produtor e pesquisador Jorge Ferreira e do fotógrafo Rafael Imenes — com os quais passaram por um processo de imersão em campo, no sítio agroflorestal São José, em Paraty. A exposição conta com curadoria de Maykson Cardoso.
 

10h às 13h – Sala  de Cinema

Gente Lendo Gera Gente Lendo

Realização do Sesc Paraty e Núcleo de Mídias Artes e Tecnologia de Paraty. Formação para criação de um curta metragem doc ficção em vídeo, inspirado no filme Romance, de Guel Arraes. Será apresentado dentro da programação do Sesc na Flip, de 11 a 14 de julho de 2019. Classificação livre.



10h às 11h – Sala de Artes Integradas

Núcleo Histórias de Comadres

Criado pela atriz, capoeirista, educadora e narradora de histórias Jordana Dolores, que em parceria com a atriz e musicista Vivian Maria, contarão histórias sobre a capoeira angola, manifestação cultural brasileira de matriz africana que articula diferentes linguagens, como dança, música, dramatização,  brincadeira,  jogo e espiritualidade.


10h às 13h – Espaço Memória

Oficina Jornalismo Literário com Chico Felitti

2º módulo - jornalista que produziu matéria em 2017 sobre o artista de rua Ricardo Corrêa da Silva, o icônico personagem da rua Augusta na cidade de São Paulo.  Nesse segundo encontro, Chico conversará sobre como (e quanto) se dedicar ao tema e debater a forma de cada narrativa. Esse esquema já vai prever o tempo de apuração e de construção de cada reportagem, e cada aluno sairá com um esboço da estrutura do trabalho final.


11h – Palco

Café Literário “A palavra performada”

Com Luna Vitrolira e Ricardo Aleixo. Dois poetas conversam sobre o processo de levar a poesia para o palco e para as ruas. Mediação de Rodrigo Casarin.


11h às 17h – Espaço Criança

Sala de Mediação de Leitura para Crianças – Ler e Brincar é Só Começar!

Com a pedagoga Wilza Nunes e brincante da Cultura Popular, Lilian Villanova.  Classificação livre.


14h – Palco

Café Literário “A literatura é pop?”

Com Bárbara Prince e Raphael Montes. Editora e escritor debatem a quantas anda a literatura pop no Brasil. Mediação de Marta Barcellos.


14h às 17h – Espaço Memória

Oficina Narrativas Negras em quadrinhos, com Marcelo D´Salete 

2º módulo - apresenta a história e a estrutura dos quadrinhos, permeadas pela experiência e obra do autor sobre narrativas negras. A atividade inclui exercícios práticos de montagem de cenas de HQ, criação de nova narrativa pelos participantes e conversa sobre os resultados.


14h30 às 15h30 – Sala de Cinema

Mostra de Cinema Infantil Identidades

Obras que trazem elementos da cultura indígena, afro brasileira e outras questões de identidade. Tito e os pássaros – 73 min – Filme sobre um menino tímido de 10 anos que vive com sua mão. De repente, uma estranha epidemia começa a se espalhar, fazendo com que pessoas fiquem doentes quando se assustam. A busca de Tito pelo antídoto se torna uma jornada para encontrar seu pai ausente e sua própria identidade. Classificação livre.


14h30 às 16h30 – Sala  de Artes Integradas

8º Concurso Jovens Dramaturgos

Leitura de dois textos finalistas do concurso promovido pela Escola Sesc de Ensino Médio, com a Cia. Os Arteiros, da Cidade de Deus, RJ.  Classificação indicativa 12 anos.


16h às 18h – Sala de Cinema

Mostra de Cinema Adulto Identidades

Obras que trazem elementos da cultura indígena, afro brasileira e outras questões de identidade.
Kiarãsâ Yõ Sâty, O amendoim da cutia – 51 min – Cotidiano da aldeia Paraná na colheita do amendoim, apresentado por um jovem professor, uma mulher pajé e o chefe da aldeia. Classificação livre.
Bicicletas de Nhanderu – 48 min – Imersão na espiritualidade presente no cotidiano dos Mbya-Guarani da aldeia Koenju, em São Miguel das Missões, no Rio Grande do Sul, Classificação livre.


17h – Palco

Café Literário “Narrativas malandras”

Com Reinaldo Moraes e Giovana Madalosso.  A malandragem está mais viva do que nunca na literatura brasileira?.  Mediação de Rodrigo Casarin.



18h às 19h30 – Externo

Vídeo mapping Espaço Tempo Movimento

Proposta artística conceitual, inovadora, com duração de 13 minutos. Gustavo Gelmini, da Cia Gelmini de Videodança, é o criador do vídeo mapping , uma parceria com a Cia Híbrida, com direção coreográfica de Renato Cruz, dramaturgia de Lenine Vasconcellos e música do compositor francês Cyril Hernandez. O trabalho é inspirado na relação da dança com a imagem e o espaço urbano a partir da teoria da relatividade e física quântica.


20h às 21h – Sala de Artes Integradas

Prêmio Off FliP de Literatura

Bate-papo com os vencedores da edição 2019.


21h às 22h – Externo

Vídeo mapping Espaço Tempo Movimento

Proposta artística conceitual, inovadora, com duração de 13 minutos. Gustavo Gelmini, da Cia Gelmini de Videodança, é o criador do vídeo mapping , uma parceria com a Cia Híbrida, com direção coreográfica de Renato Cruz, dramaturgia de Lenine Vasconcellos e música do compositor francês Cyril Hernandez. O trabalho é inspirado na relação da dança com a imagem e o espaço urbano a partir da teoria da relatividade e física quântica.

 

 

CASA EDIÇÕES SESC


11h

Língua portuguesa e cultura moçambicana

Como parte das políticas de difusão da língua portuguesa, organizada pela Câmara Brasileira do Livro, por meio de sua Comissão para Promoção de Conteúdo em Língua Portuguesa (CPCLP), essa mesa tem como tema a cultura moçambicana. Com o poeta finalista do Prêmio Oceanos, Mbate Pedro (Moçambique) e a escritora Isabel Lucas (Portugal). Essa mesa tem o apoio do Prêmio Oceanos de Literatura.


15h

Prazeres e pecados do sexo na história do Brasil

Bate-papo de lançamento do livro com Paulo Sérgio do Carmo, no qual debate a história da sexualidade no Brasil a partir de documentos históricos, estudos, memórias, romances e anedotas, equiparando discursos variados.


17h

Patrimônio histórico: memória, negligência e resistência

Lançamento do livro Memória da Amnésia: políticas do esquecimento, com debate sobre patrimônio cultural com a autora Giselle Beiguelman, a  Diretora do Museu Paulista , Solange Ferraz, e o Diretor do Museu Nacional, Alexander Kellner.


19h

Simone de Beauvoir e a questão do feminismo hoje

Debate sobre o legado de Simone de Beauvoir ao feminismo, com a crítica literária Leda Tenório da Motta. Encontro marca do lançamento do livro Beauvoir presente, da escritora búlgaro-francesa, Julia Kristeva.




SESC AREAL DO PONTAL
 

10h às 20h

Bibliosesc



10h às 11h

Intervenção poética Baloeiros

A Cia Ih, Contei! traz para esta intervenção dezenas de balões flutuantes que guardam dentro si um poemas, contos e poesias. O público é convidado a escolher um balão e estourá-lo e assim ouvir o que vem de dentro dele.


10h às 11h

Oficina de Campo

Proposta de criação artística coletiva e afetiva para crianças de 0 a 7 anos. Uma experiência de jogo, composição e performance, junto com artista Ieltxu Ortueta.


11h30 às 12h30

Leitura e bate-papo com Heloisa Pires

Reunindo informação histórica, reflexão intelectual, estímulos ao exercício da cidadania e historinhas propriamente ditas (tiradas da mitologia africana, por exemplo), a autora fala sobre a população negra no Brasil, com a experiência de quem já foi alvo de racismo.


12h30 às 13h15

Cortejo Circo a Céu Aberto

Percurso do Largo de Santa Rita até o Areal do Pontal


13h15 às 14h15

Circo a Céu Aberto

O Circo a Céu Aberto resgata aos espaços públicos a atmosfera poética do encontro, do aplauso, do sorriso, do despertar para a imaginação, por meio da linguagem do palhaço, da comédia física e da arte de rua.


14h30 às 16h

Leitura musicada e bate-papo com Fábio Sombra

Escritor, ilustrador e cordelista, suas obras para crianças e jovens geralmente abordam temas da cultura popular brasileira como: Folias de Reis, desafios em versos e cantorias de viola. Seus livros “A lenda do violeiro invejoso” (2005) e "Vladimir e o navio voador" (2013) foram premiados pela Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil - FNLIJ com os selos de “Altamente recomendável para o jovem”. Fábio Sombra também é membro da Academia Brasileira de Literatura de Cordel, onde ocupa a cadeira de número 03.


16h30 às 17h30

Oficina Photon Duo de trabalhos manuais para videomapping

Contação de história infantil com tema marítimo, seguida de atividade de desenho e/ou teatro de sombras. Os conteúdos produzidos pelos participantes serão projetados na fachada da unidade Santa Rita, logo após a exibição da obra MAR | Histórias para embalar ondas, a ser realizada pela dupla Photon Duo.


18h15 às 19h30

Oficina HQ com João Marcos

Com alguma letras, números e traços específicos, ele consegue transformar o F em um cavalo, uma locomotiva e até em um tubarão. A letra E pode virar um robô, uma princesa ou uma onça. Tudo depende da criatividade do professor João Marcos Parreira Mendonça. E é esta criatividade que ele traz na sua oficina ensinando a desenhar.

 

 

OUTROS ESPAÇOS


11h - Rodoviária

A chegada de Godot, o distribuidor de Poemas.

Com o ator e diretor Luiz Manuel - performance com um simpático senhor de 75 anos chamado Antonni Godot,  que passeia pelas ruas da cidade trocando afetos com as pessoas. Inspirada na dramaturgia de Samuel Beckett “Esperando Godot”, a performance intervém no cotidiano de transeuntes no meio urbano para uma travar uma simples conversa. Classificação livre.


14h - Ponto do Jipe


Ester

Intervenção poética em que a protagonista é a boneca Ester, manipulada pela atriz pernambucana Odília Nunes. Em sua caixa-teatro-realejo, Ester planta flores, mas não se contém em ficar apenas na caixinha. Ela quer trocar contatos com outros seres, afagos, olhar, acarinhas. Classificação livre.


16h - Largo de Santa Rita


Grupo Afrooyá com o espetáculo DidêManda 

Espetáculo de Dança Afro Contemporânea Brasileira formado pelas performances Aurora, Inovação, Águas da Vida, Maculelê, Axé Oyá e um medley Dança de Rua, com músicos ao vivo, baseado nos movimentos das heranças de matrizes africanas, juntamente com a contemporaneidade brasileira em uma união de cultura, tradição, atualidade, ritmo e alegria. Classificação livre.

 

13/7 Sábado

 

UNIDADE CABORÊ


10h às 19h – Jardim

Exposição Câmara de Ecos

A arte poética de Wally Salomão (1943-2003) ecoa na voz de diversos artistas, dentro de um ninho feito de sarrafos de madeira e alto falantes espalhados em nichos. Em cada nicho, a gravação de uma voz lendo em sequência nove poemas selecionados. As vozes se atravessam no espaço ecoando palavras, pausas e ritmos. A ideia da Câmara de Ecos surgiu de uma pergunta-proposição de Heloisa Buarque de Hollanda: como seria ouvir um mesmo poema lido por diferentes vozes, cada voz no seu próprio passo?   A partir daí, o filho de Waly, Omar Salomão, realiza o projeto, junto com o pesquisador sonoro Daniel Castanheira e a cenógrafa Suzane Queiroz. Waly Salomão é autor de 74 letras e poemas musicados por importantes compositores da MPB, como as canções Mel e A voz de uma Pessoa Vitoriosa com Caetano Veloso e Memória da Pele com João Bosco.


10h às 13h – Jardim

Oficina Mini Lambes

Com o artista Paulo Pereira. Espaço para crianças entre 5 a 12 anos pensarem imagens utilizando a linguagem "lambe-lambe"  e dialogando assim com a Arte de Rua e questões ligadas ao pertencimento à cidade.


11h às 12h30 - Palco

Orquestra Mundana Refugi

Ccriada por meio do projeto Refugi no Sesc Consolação (SP), onde foram oferecidas oficinas musicais gratuitas para imigrantes e refugiados. Formada por músicos brasileiros, imigrantes e refugiados de diversas partes do mundo, a Mundana Refugi tem a direção musical do multi-instrumentista Carlinhos Antunes e leva ao público temas tradicionais da Palestina, Irã, Guiné, Congo e Brasil em arranjos inusitados, além de composições próprias.  Vozes e instrumentos como o kanun, acordeão, piano, violino, cítara chinesa, bouzouki e tantos outros dão vida a várias culturas.


14h30 – Geodésica Multiuso

Ducineia Cardoso, a Nega Duda

Referência do samba de roda baiano na capital paulista, Nega criou o Samba de Roda Nega Duda, onde desenvolve o Ekan de axé. O samba de roda traz referências do culto aos orixás e caboclos, à capoeira e à comida de azeite. Seus shows são uma celebração a uma importante tradição popular e cultural brasileira e é reconhecido pela Associação de Sambadores e Sambadoras do Estado da Bahia.


15h às 18h – Jardim

GRAFIQUETA

Ateliê aberto e experimental que enfatiza os processos artísticos e os materializa graficamente, combinando fazeres múltiplos, tecnologia e livros. Para crianças.


15h30 às 16h30 - Jardim

Cordelina

Intervenção cênica criada pela atriz Odília Nunes, “Cordelina” é a história de uma boneca gigante que saí pelo mundo contando estórias para o povo por onde passa. Em cena uma só atriz, mas duas personagens que conta desde a menina embaixo de um Angico até a velha senhora que reza para tirar os maus olhados do povo sertanejo. Classificação Indicativa 12 anos.


18h30 às 19h30 – Teatro

“A Invenção do Nordeste” do Grupo Carmin

Inspirado na obra homônima do Prof. Dr. Durval Muniz de Albuquerque Jr., o espetáculo propõe desenhar a trajetória hilária e por vezes conflitante da história recente do estabelecimento da região nordeste. Motivada por uma série de reações xenófobas contra os nordestinos, a atriz Quitéria Kelly compartilhou com os demais integrantes do grupo o seu desejo de criar uma peça que contribuísse para a desconstrução da imagem estereotipada do Nordeste e do(a) nordestino(a). Classificação indicativa 12 anos.


20h às 21h30 – Palco

Chico César

No repertório,  canções apaixonadas como Palavra Mágica e Atravessa-me,  e engajadas como Negão e No Sumaré. O espetáculo musical viaja por diversos ritmos regionais, combinando elementos de frevo, xote, samba, forró, toada e reggae, em uma mistura solar e colorida.

 

UNIDADE SANTA RITA



10h às 19h – Sala de Exposição Exposição

Alfabeto Maldito

Joélson Bugila e Jorge Menna Barreto se voltam ao universo vegetal e à sua comunicação complexa, partindo especialmente das “ervas daninhas” — les mauvaises herbes: as “ervas malditas”. Nesta que é a sua primeira edição, os artistas contam com a colaboração do produtor e pesquisador Jorge Ferreira e do fotógrafo Rafael Imenes — com os quais passaram por um processo de imersão em campo, no sítio agroflorestal São José, em Paraty. A exposição conta com curadoria de Maykson Cardoso.


10h às 13h – Sala  de Cinema

Gente Lendo Gera Gente Lendo

Realização do Sesc Paraty e Núcleo de Mídias Artes e Tecnologia de Paraty. Formação para criação de um curta metragem doc ficção em vídeo, inspirado no filme Romance, de Guel Arraes. Será apresentado dentro da programação do Sesc na Flip, de 11 a 14 de julho de 2019. Classificação livre.


10h – Sala de Artes Integradas

Narrações de Histórias, com  Kiusam de Oliveira

Professora da Universidade Federal no Espírito Santo, educadora há 25 anos, com experiência desde a educação infantil até o ensino superior. É Iyalorixá, integrante da ONG Olhares Cruzados, artista multimídia e coreógrafa. Tem palestrado pelo Brasil sobre a temática das relações étnico-raciais, focando em: candomblé e educação; corporeidade afro-brasileira; danças afro-brasileiras e cultura.


10h às 13h – Espaço Memória

Oficina Jornalismo Literário com Chico Felitti

3º módulo - jornalista que produziu matéria em 2017 sobre o artista de rua Ricardo Corrêa da Silva, o icônico personagem da rua Augusta na cidade de São Paulo. Na terceira e última aula, o jornalista conversa sobre as dificuldades práticas que surgem na apuração, como lidar com elas para levar a reportagem adiante e para onde vender o trabalho pronto. Cada aluno sai com uma lista de contatos de veículos que podem se interessar por sua reportagem.


11h – Palco

Café Literário “Profissão de risco”

Com Marcelo D´Salete e Germana Viana. Os reconhecidos artistas do cartum e das HQs comentam sobre seus trabalhos e (ins)pirações. Mediação de Maria Fernanda Rodrigues.


10h às 17h – Espaço Criança

Sala de Mediação de Leitura para Crianças – Ler e Brincar é Só Começar!

Com a pedagoga Wilza Nunes e brincante da Cultura Popular, Lilian Villanova.  Classificação livre.


14h – Palco

Café Literário “Poesia em outras margens”

Com Dennis Radünz e Flávia Péret. Dois autores fora do eixo e dos rótulos mostram a diversidade poética brasileira. Mediação de André Barcinski.


14h às 17h – Espaço Memória

Oficina Narrativas Negras em quadrinhos, com Marcelo D´Salete

3º módulo - apresenta a história e a estrutura dos quadrinhos, permeadas pela experiência e obra do autor sobre narrativas negras. A atividade inclui exercícios práticos de montagem de cenas de HQ, criação de nova narrativa pelos participantes e conversa sobre os resultados.


14h30 às 15h30 – Sala de Cinema

Mostra de Cinema Infantil Identidades

Seis curtas que trazem elementos da cultura indígena, afro brasileira e outras questões de identidade. Classificação livre.
Pajerama - 9min.
O dilúvio Maxakali – 12min
Fábula de Vô Ita – 5 min
Òrun Àiyé – A criação do mundo – 12min
Josué e o Pé de Macaxeira – 12min
Vida Maria – 9min.


14h30 – Sala  de Artes Integradas

“O Poeta Câmara cascudo: Um Livro No Inferno Da Biblioteca”

Lançamento livro de Dácio Galvão.


16h às 18h – Sala de Cinema

Mostra de Cinema Adulto Identidades

Obras que trazem elementos da cultura indígena, afro brasileira e outras questões de identidade.
Hiper Mulheres – 80 min – O filme mostra o Jamurikumalu, maior ritual feminino do Alto Xingu (MT). As mulheres do grupo começam os ensaios, enquanto a única cantora que de fato sabe todas as músicas se encontra gravemente doente. Classificação indicativa 10 anos.


17h – Palco

Café Literário “Corpo do livro, livro do corpo”

Com Juliana Leite e Renata Pimentel. Encontro de duas autoras cujo trabalho estabelece relações entre o corpo e a palavra.  Mediação de Schneider Carpeggiani.  


18h – Externo

Videomapping Photon Duo – Mar: Histórias para embalar ondas

 Filme concebido para a Flip 2019, com roteiro poético acerca do mar. Uma costura fluida de lendas das nações Caiçara, Tamoio, Pataxó, Tupi-guaranis e Nagô, com poemas da língua portuguesa com temática marítima, enredando-os numa única narrativa que abarca a história e as tradições orais locais, bem como poemas célebre de nosso idioma. Flávio de Araújo, Dorival Caymmi, Sophia de Mello estão entre os autores que terão seus versos transpostos para a linguagem de videomapping.


18h15 – Sala de artes integradas

Performance da poeta Luna Vitrolira

Poeta, atriz e performer, uma das novas vozes que representa o novo cenário poético de Pernambuco. Como um marco de 10 anos de carreira, Luna lançou seu primeiro livro, Aquenda – o amor às vezes é isso, que chamou a atenção da crítica nacional e local. Luna Vitrolira apresenta recital performático baseado no livro, onde enfatiza o protagonismo feminino no universo do amor, com recorte racial, discutindo temas como a solidão e a invisibilidade das mulheres negras; feminicídio, violências físicas, verbais e psicológicas nas relações afetivas; abuso, estupro, aborto, gordofobia e sexualidade; o prazer feminino e o corpo como autopertencimento. Classificação indicativa 16 anos.


20h – Palco

Prêmio Sesc de Literatura

Bate-papo com os vencedores da edição 2019, Felipe Holloway e João Gabriel Paulsen. Os dois foram escolhidos nas categorias Romance e Conto, com os livros “O legado de nossa miséria” e “O doce e o amargo”, respectivamente. Mediação de Henrique Rodrigues.


21h às 21h30 – Externo

Videomapping Photon Duo – Mar: Histórias para embalar ondas

 Filme concebido para a Flip 2019, com roteiro poético acerca do mar. Uma costura fluida de lendas das nações Caiçara, Tamoio, Pataxó, Tupi-guaranis e Nagô, com poemas da língua portuguesa com temática marítima, enredando-os numa única narrativa que abarca a história e as tradições orais locais, bem como poemas célebre de nosso idioma. Flávio de Araújo, Dorival Caymmi, Sophia de Mello estão entre os autores que terão seus versos transpostos para a linguagem de videomapping.

 

 

CASA EDIÇÕES SESC


11h - Democracia Digital

Bate-papo e lançamento de dois títulos da Coleção Democracia Digital. Em Acesso negado, Maria Caramez Carlotto dedica-se a reconstruir a história da ideia de propriedade intelectual, desde a legislação aprovada em Veneza, em meados do século XV, aos dias atuais. Já em Democracia e os códigos invisíveis, Sérgio Amadeu aborda a relação entre o avanço dos sistemas algorítmicos e o debate democrático, além de investigar o papel dos algoritmos na mediação e modulação da opinião pública.


15h - Reflexões sobre o cinema brasileiro

Lançamento do livro Um pensador do cinema brasileiro, sobre a trajetória intelectual de Ismail Xavier. No livro, professores, críticos e intelectuais ligados ao cinema se debruçam ao examinar a sua relação com o cinema nacional, as conexões que estabeleceu entre cinema e literatura, os conceitos e teorias que desenvolveu, sua atuação como crítico, sua influência e seu legado. Com Ismail Xavier e o crítico de cinema, José Geraldo Couto.


17h - Os sertões: história, cinema e literatura

Bate-papo entre a escritora Isabel Lucas (Portugal) e o cineasta Miguel Gomes (Portugal) sobre as intersecções da obra de Euclides da Cunha na literatura e no cinema, tendo como pano de fundo a obra Os sertões. Esta atividade tem o apoio do Instituto Camões e Prêmio Oceanos de Literatura.


19h - Vozes da MPB

Lançamento da edição revista e ampliada do livro Vozes do Brasil: entrevistas reunidas, com a autora Patricia Palumbo. No livro, grandes nomes da música brasileira, como Elza Soares, Jards Macalé e Rita Lee revelam nas entrevistas os contextos que propiciaram o surgimento não apenas de canções como também movimentos e estilos musicais.

 

 

SESC AREAL DO PONTAL


10h às 20h

Bibliosesc


10h às 11h

Criança Escrevendo para Crianças

Beatriz Guimarães Menezes, escritora infantil amazonense, traz a experiência de ter sua primeira publicação aos 8 anos, Coisas da Tiz, e agora, aos 18 anos, depois de ter lançado mais uma obra.


11h30 às  12h30

Leitura e bate-papo com Cristino Wapichana sobre a diversidade dos povos indígenas brasileiros

Cristino Wapichana é músico, compositor, cineasta e escritor. Nasceu em Boa Vista, Roraima. É contador de histórias e palestrante sobre a temática indígena em escolas, universidades, fundações e instituições diversas.


12h30 às 13h15

Cortejo Circo a Céu Aberto

Percurso do Largo de Santa Rita até o Areal do Pontal


13h15 às 14h15

Circo a Céu Aberto

O Circo a Céu Aberto resgata aos espaços públicos a atmosfera poética do encontro, do aplauso, do sorriso, do despertar para a imaginação, por meio da linguagem do palhaço, da comédia física e da arte de rua.


14h30 às 16h

Leitura e bate-papo com Kiusam de Oliveira e Amora Moreira sobre questões de raça, gênero e direito das crianças, jovens e adultos

Kiusam de Oliveira está sempre disposta a tratar questões de raça e gênero, direitos das crianças, jovens e adultos. Seus livros são referência quando o assunto é o empoderamento de crianças negras e  ganham vida através das ilustrações de Amora Moreira.


16h30 às 17h30

Oficina de Aquarela

A oficina de aquarela para crianças visa estimular a livre criação, tirando partido das características do elemento água, que é a base da técnica da aquarela. Visa também estimular a socialização através de exercícios de trabalho conjunto, bem como conhecimento das cores, suas misturas e transparências.


18h15 às 19h

Grupo Cirandeiro

A ciranda, conhecida dança de roda, é tradição em diversos cantos do Brasil. Em Paraty, a ciranda que encanta moradores e visitantes reflete a origem cultural caiçara com traços expressivos da colonização brasileira. Remete às danças europeias de salão e às palmas e batidas indígenas.

 

 

OUTROS ESPAÇOS


14h – Ponto do Jipe

A chegada de Godot, o distribuidor de Poemas

Com o ator e diretor Luiz Manuel - performance com um simpático senhor de 75 anos chamado Antonni Godot,  que passeia pelas ruas da cidade trocando afetos com as pessoas. Inspirada na dramaturgia de Samuel Beckett “Esperando Godot”, a performance intervém no cotidiano de transeuntes no meio urbano para uma travar uma simples conversa.


16h – Largo de Santa Rita

Grupo Triolé com o espetáculo Subsolos

Lambreta é um grande palhaço, famoso por números grandiosos, excêntricos e estupendos, apresentados pelo mundo afora. Tudo isto, somente na imaginação deste palhaço que se atrapalha com sua mania de grandeza, gerando riso e divertimento no espontâneo fracasso da sua natureza humana. Classificação livre.

 

14/7 Domingo

 

UNIDADE CABORÊ


10h às 19h – Jardim

Exposição Câmara de Ecos

A arte poética de Wally Salomão (1943-2003) ecoa na voz de diversos artistas, dentro de um ninho feito de sarrafos de madeira e alto falantes espalhados em nichos. Em cada nicho, a gravação de uma voz lendo em sequência nove poemas selecionados. As vozes se atravessam no espaço ecoando palavras, pausas e ritmos. A ideia da Câmara de Ecos surgiu de uma pergunta-proposição de Heloisa Buarque de Hollanda: como seria ouvir um mesmo poema lido por diferentes vozes, cada voz no seu próprio passo?   A partir daí, o filho de Waly, Omar Salomão, realiza o projeto, junto com o pesquisador sonoro Daniel Castanheira e a cenógrafa Suzane Queiroz. Waly Salomão é autor de 74 letras e poemas musicados por importantes compositores da MPB, como as canções Mel e A voz de uma Pessoa Vitoriosa com Caetano Veloso e Memória da Pele com João Bosco.


10h às 13h – Jardim

Oficina Mini Lambes

Com o artista Paulo Pereira. Espaço para crianças entre 5 a 12 anos pensarem imagens utilizando a linguagem "lambe-lambe"  e dialogando assim com a Arte de Rua e questões ligadas ao pertencimento à cidade.


11h – Palco

Orquestra Caipirando

Com um repertório repleto de clássicos da música caipira, a Orquestra Caipirando encanta e emociona o público com seus variados ritmos, toques e ponteios de viola. Formada por 30 músicos, que divulgam a Cultura Caipira através de músicas do cancioneiro nacional e de composições próprias, em arranjos criados pelo Professor e Maestro Henrique Bonna. Classificação livre.


14h30 – Jardim

Kilezuuummmm

Livre inspiração do conto “Do amor de um pássaro por um lagarto”, do autor e ator Gero Camilo, o espetáculo de dança traz reflexões poéticas suscitadas na história como amor, entrega, desejo, respeito à diferença e as restrições impostas socialmente sobre as múltiplas possibilidades de afeto. Com os bailarinos Edu O., professor da Escola de Dança da UFBA, e João Rafael Neto.  Classificação livre.


15h às 18h – Jardim

GRAFIQUETA

Ateliê aberto e experimental que enfatiza os processos artísticos e os materializa graficamente, combinando fazeres múltiplos, tecnologia e livros. Para crianças.


16h – Teatro

Pequeno Príncipe Preto

O espetáculo conta a história de um príncipe que percorre diferentes planetas, em uma jornada de entendimento sobre a importância da autovalorização da sua cultura e descobre o quanto é bonita a diversidade de cada povo. O texto e direção é do diretor e ator Rodrigo França, um nome de destaque no cenário cultural e nas pesquisas relacionadas à cultura negra. O solo tem performance do ator Junior Dantas, que integra há 9 anos a Cia. OmondÉ. Classificação Livre.


18h às 19h30 – Teatro

Cine Concerto

Resgatar a atmosfera dos primórdios do cinema, em que as projeções de filmes mudos eram acompanhadas por trilha sonora executada ao vivo, é a proposta do Cine Concerto.  Para a programção na Flip 2019, foi selecionado o clássico da animação a Pantera Cor-de-Rosa,da década de 1960. Utilizando sintetizadores, drum machine, samples, marimba feitas de garrafas de vinho, metalofone, kalimba, bateria acústica e paisagens sonoras (re)criadas em computador, o músico mineiro Daniel Nunes sonoriza os primeiros episódios da primeira temporada da série animada a partir de diferentes perspectivas sobre o clássico tema musical “The Pink Panther Theme”. Classificação livre.

 

UNIDADE SANTA RITA


10h às 19h – Sala de Exposição 

Alfabeto Maldito

Joélson Bugila e Jorge Menna Barreto se voltam ao universo vegetal e à sua comunicação complexa, partindo especialmente das “ervas daninhas” — les mauvaises herbes: as “ervas malditas”. Nesta que é a sua primeira edição, os artistas contam com a colaboração do produtor e pesquisador Jorge Ferreira e do fotógrafo Rafael Imenes — com os quais passaram por um processo de imersão em campo, no sítio agroflorestal São José, em Paraty. A exposição conta com curadoria de Maykson Cardoso.


10h às 13h – Sala  de Cinema

Gente Lendo Gera Gente Lendo

Realização do Sesc Paraty e Núcleo de Mídias Artes e Tecnologia de Paraty. Formação para criação de um curta metragem doc ficção em vídeo, inspirado no filme Romance, de Guel Arraes. Será apresentado dentro da programação do Sesc na Flip, de 11 a 14 de julho de 2019. Classificação livre.


10h – Sala de Artes Integradas

Narrações de histórias com  Kiusam de Oliveira

Professora da Universidade Federal no Espírito Santo, educadora há 25 anos, com experiência desde a educação infantil até o ensino superior. É Iyalorixá, integrante da ONG Olhares Cruzados, artista multimídia e coreógrafa. Tem palestrado pelo Brasil sobre a temática das relações étnico-raciais, focando em: candomblé e educação; corporeidade afro-brasileira; danças afro-brasileiras e cultura.


11h – Palco

Café Literário “Jornalismo literário ou literatura jornalística?”

Com Chico Felitti e Sérgio Rodrigues. Como os meios e as mediações entre literatura e vida encontram seus caminhos hoje? Mediação de Schneider Carpeggiani.


10h às 17h – Espaço Criança Sala de Leitura para Crianças

Sala de Mediação de Leitura Ler e Brincar é Só Começar!

Com a pedagoga Wilza Nunes e brincante da Cultura Popular, Lilian Villanova.  Classificação livre.


14h  – Palco

Café Literário “O romance como identidade”

Com João Cezar de Castro Rocha e Ana Maria Gonçalves. Um crítico e uma romancista discutem as relações identitárias presentes no romance contemporâneo. Mediação de Maria Fernanda Rodrigues.


14h30 – Sala de Artes Integradas

Lançamento do livro Diálogos com a Cidade: 1º Encontro Psicanalítico de Paraty.


14h às 15h30 – Sala de Cinema

Mostra de Cinema Infantil Identidades

Obras que trazem elementos da cultura indígena, afro brasileira e outras questões de identidade.
Minha vida de abobrinha – 65 min – Animação em Stop Motion francesa, que narra a  história de Ícaro, um menino de 9 anos, que tem o intrigante apelido de Abobrinha.  Após a morte repentina de sua mãe, Abobrinha torna-se amigo do policial Raimundo, que acompanha o garoto até seu lar adotivo, repleto de outros órfãos de sua idade. Classificação indicativa 10 anos.


16h às 18h – Sala de Cinema

Mostra de Cinema Adulto Identidades

Obras que trazem elementos da cultura indígena, afro brasileira e outras questões de identidade.
Corumbiara – 117 min – Documentário sobre o indigenista Marcelo Santos, que em 1985 denunciou um massacre de índios na Gleba Corumbiara (RO). Vincent Carelli filma o que resta das evidências. Marcelo e sua equipe levam anos para encontrar os sobreviventes. Duas décadas depois, Corumbiara revela essa busca e a versão dos índios. Classificação livre.


18h às 19h30 – Externo

Videomapping Photon Duo – Mar: Histórias para embalar ondas 

Filme concebido para a Flip 2019, com roteiro poético acerca do mar. Uma costura fluida de lendas das nações Caiçara, Tamoio, Pataxó, Tupi-guaranis e Nagô, com poemas da língua portuguesa com temática marítima, enredando-os numa única narrativa que abarca a história e as tradições orais locais, bem como poemas célebre de nosso idioma. Flávio de Araújo, Dorival Caymmi, Sophia de Mello estão entre os autores que terão seus versos transpostos para a linguagem de videomapping.


 

 

SESC AREAL DO PONTAL

 


10h às 14h

Bibliosesc


10h às 11h

Leitura e bate-papo com Márcia Cristina, Retratos da Infância

Com uma abordagem criativa, que muito se aproxima da poesia, o texto apresenta questões acerca da imagem da infância na sociedade e também traz reflexões a respeito da escrita literária. Faz-se uso de metáforas com termos referentes à fotografia para apresentar questões a respeito da infância, do lugar da criança no universo adulto, da tensão entre o mundo adulto e o infantil, da relação entre infância e poesia.


11h30 às 12h30

Roda de Leitura Musical ‘O Mundo da Mari de Faz de Conta’

Narração de histórias infantis apresentada pela jornalista e contadora Mariana Müller. Com irreverência, ela explora o ludismo das historinhas, usa e abusa das cores do figurino, dos fantoches e dos sons de instrumentos musicais para estimular a interação com o público infantil e explorar temas do cotidiano das crianças, sempre de forma divertida e muito didática.


13h15 às 14h15

Estrela Dalva

Espetáculo interativo que se propõe a trazer danças e histórias brasileiras na busca de festas e festejos populares que evoquem o estado do brincante no encontro com o outro, com objetos e músicas.



 

OUTROS ESPAÇOS



11h - Rodoviária

A chegada de Godot, o distribuidor de Poemas

Com o ator e diretor Luiz Manuel - performance com um simpático senhor de 75 anos chamado Antonni Godot,  que passeia pelas ruas da cidade trocando afetos com as pessoas. Inspirada na dramaturgia de Samuel Beckett “Esperando Godot”, a performance intervém no cotidiano de transeuntes no meio urbano para uma travar uma simples conversa.


14h - Ponto do Jipe

Ester

Intervenção poética em que a protagonista é a boneca Ester, manipulada pela atriz pernambucana Odília Nunes. Em sua caixa-teatro-realejo, Ester planta flores, mas não se contém em ficar apenas na caixinha. Ela quer trocar contatos com outros seres, afagos, olhar, acarinhas. Classificação livre.


16h – Largo de Santa Rita

Grupo Triolé com o espetáculo “Qual a graça de Laurinda?”

Dois palhaços disputam o coração de uma palhaça que só existe na imaginação deles. E é aí que a dupla arma o circo. A montagem, concebida para todas as idades, é inspirada na linguagem do desenho animado. Classificação livre.