O Cantil Drama / 12 anos / 40 minutos

O Cantil surge de uma leitura bastante específica de A exceção e a regra de Bertolt Brecht, onde a palavra é suprimida para que o gesto seja enfatizado e o trabalho dos atores possa ser refuncionalizado pelo exercício de demonstração e manipulação. Trata-se, portanto, de uma viagem sem espaço nem tempo definidos. Dois homens seguem à procura de algo. Para o patrão a viagem é urgente e aterradora, para o empregado é apenas objeto de seu ganha-pão. Entre os dois se estabelece uma relação nos extremos da desconfiança total e da pura subserviência, relação essa transfigurada pela ausência/presença do cantil.

Texto e direção: Fran Teixeira
Produção: Levy Mota e Fabiano Veríssimo
Elenco: Ana Luiza Rios, Acauã Pessoa, Fabiano Veríssimo, Levy Mota, Loreta Dialla e Márcio Medeiros
Cenário: Frederico Teixeira
Figurino: João Zabaleta
Trilha sonora e sonoplastia: Dustan Gallas
Animação: Ramon Cavalcante
Iluminação: Walter Façanha
Operador de som: Wellington Fonseka
Operador de luz: Ciel Carvalho
Fotografia: Deyvison Teixeira e Walmick Campos