O Palco Giratório na Bahia

A interiorização do Palco Giratório na Bahia contribuiu para implantação do programa Cultura nas Unidades Executivas do interior do Estado. Abriu portas para reconhecer a necessidade e a importância de ter no quadro de funcionários da entidade profissionais especializados em artes, bem como espaços físicos adequados a essas programações.

O Palco Giratório foi implantado gradativamente nas cidades de Feira de Santana, Jequié, Vitória da Conquista, Santo Antonio de Jesus, Paulo Afonso e Barreiras. Conquistou a admiração e a credibilidade do público por onde o circuito passou. Ouvimos sempre de espectadores que se o espetáculo era da programação do Palco Giratório eles não tinham dúvidas da qualidade e por isso estavam sempre presentes nas apresentações.
    
No primeiro espetáculo de formas animadas apresentado em Feira de Santana, várias pessoas da plateia se manifestaram dizendo que nunca tinham assistido a um espetáculo de teatro de bonecos e que estavam se sentindo próximos dos artistas por eles estarem conversando com o público após a apresentação. Ainda nessa cidade, o projeto teve um papel importante por “educar” o público a chegar ao teatro no horário marcado.
    
Em Santo Antonio de Jesus, o Palco Giratório foi implantado antes da construção da Unidade Executiva do Sesc, foi formado um público e constatamos que a maior expectativa das pessoas era ter um teatro e atividades culturais, pois não existe um espaço cultural na cidade. Fizemos parcerias com colégios, clubes sociais e associações para viabilizar as apresentações.
    
Paulo Afonso tem uma trajetória interessante. Apesar de não ter um teatro, a equipe do Sesc Ler fecha parcerias com espaços que podem ser transformados em teatros, constrói uma caixa cênica dentro das necessidades técnicas do espetáculo, viabilizando assim a única programação cultural sistemática na cidade. Tem o prestígio e o reconhecimento do público que comparece bastante.
    
Nessas cidades a realização de oficinas e pensamentos giratórios é talvez a única oportunidade de os artistas locais se capacitarem. O Palco Giratório transformou o olhar de artistas e do público para as Artes Cênicas, impulsionou o desenvolvimento artístico, a formação de grupos e eventos culturais.