Octeto do Polyphonia Khoros

O Polyphonia Khoros é um grupo coral da cidade de Florianópolis (SC) que está em atividade desde 2001. Com repertório eclético, com ênfase na música do século 20 e 21, o grupo regido pela maestrina Mércia Mafra Ferreira mantém um trabalho de excelência na área se destacando no cenário musical do estado de Santa Catarina. Por meio do Instituto Polyphonia, entidade sem fins lucrativos, o coro, que conta hoje com 28 cantores, promove a prática e a apreciação da música vocal, formando jovens cantores líricos e amplas plateias. 


Selecionados a partir do equilíbrio e timbragem de vozes e da experiência camerística com a música contemporânea, o Octeto é formado por uma representação do grupo, e é composto por quatro vozes masculinas: Fernando De Carli e Tobias Andreas Weege (tenores), Javier Venegas e Leonardo Barbi (baixos) e quatro vozes femininas: Grasieli Fachini e Natacha De Carli (sopranos), Débora Almeida e Luciana Lira (contraltos).

Próximas apresentações

<<  <  1  2  3  >  >>

REPERTÓRIO

  • Fuga e antifuga (1967)
  • Edino Krieger, em poesia de Vinicius de Moraes
    Marcha-rancho em forma de fuga
  • Festa pra você (Batuque) (1970)
  • Edino Krieger
  • Madrigais (1954-1981)
  • I. Desperdício
    Edino Krieger, em poesia de Carlos Drummond de Andrade
    II. Cantar de amor (Mah senhor)
    Edino Krieger, em poesia de Manuel Bandeira
  • A arca de Noé (1978)
  • Ernst Mahle, em poesia de Vinicius de Moraes, executada na XIII Bienal
  • Rondas infantis (1952-1982)
  • Edino Krieger
    VIII. Garibaldi não foi à missa
    XIII. O boi de mamão
    XV. O macaco Simão
    XIX. Baião
  • Passacaglia (1968)
  • Edino Krieger
  • Aleluia (1949)
  • Edino Krieger
  • Topologia do medo (1978)
  • Cirlei de Holanda, em poesia de Haroldo de Campos, executada na III Bienal
  • Cantos do mar (1952)
  • Edino Krieger
    I.  O enterro do pescador
    II.  O vento
    III. Paquetá  (Em poesia de Geni Marcondes)
  • O livro mágico do curumim (1979)
  • Almeida Prado, executada na V Bienal
  • Natal (1949)
  • Edino Krieger
  • Suíte nordestina (1982)
  • Ronaldo Miranda, executada na XIII Bienal