20 de maio de 2022

Corpos benzidos em metal pesado, do paraense Pedro Augusto Baía, venceu na categoria Conto e Mikaia, da gaúcha Taiane Santi Martins, em Romance

O Prêmio Sesc de Literatura anunciou dia 20 de maio os vencedores da edição 2022. Na categoria Conto foi selecionado o título Corpos benzidos em metal pesado, do paraense Pedro Augusto Baía, e na categoria Romance o livro Mikaia, de autoria de Taiane Santi Martins, do Rio Grande do Sul. A origem dos autores reafirma o estímulo à diversidade por parte do Prêmio e sua capacidade de projetar escritores das mais distintas regiões do país. Os livros vencedores serão lançados em novembro pela editora Record, parceira do Prêmio Sesc desde a sua criação.

Corpos benzidos em metal pesado foi concebido ao longo dos últimos quatro anos, em um processo de reescrita e constante reflexão do autor. Assim, o livro de contos reflete os seus sentimentos e percepções diante da devastação ambiental, política, de direitos e de afetos. Nestes contos, Pedro tentar descrever um mosaico de geografias, povos, sentimentos e experiências que denunciam as violências, invasões e destruições no Norte do Brasil e aos corpos que lá residem. E que, neste processo de devastação, resiste uma voz, um grito, uma reza ancestral da natureza, um pedido de socorro transmutado neste livro. A comissão final que selecionou a obra foi composta pelos escritores Natalia Borges Polesso e Paulo Scott.

O romance Mikaia narra a história de três gerações de mulheres que viveram e fugiram da guerra civil moçambicana. O livro joga com as diferentes maneiras de se lidar com um passado traumático. Enquanto Mikaia – uma dançarina de ballet que sofre uma amnésia repentina – quer lembrar, sua irmã, Simi, quer esquecer e sua avó, Shaira, decide silenciar. O desenrolar da trama se dá no embate entre as tentativas de Mikaia em recuperar um passado que lhe foi roubado, os retalhos de memória que lhe voltam confusos e a resistência de Simi em renunciar a uma infância inventada e cultivada por vinte anos às custas do esquecimento. O romance foi selecionado pela comissão final composta pelos escritores Itamar Vieira Junior e Luciany Aparecida.

Neste ano, o Prêmio Sesc de Literatura recebeu a inscrição de 1.632 livros, sendo 844 em Conto e 788 em Romance. “Pela primeira vez, em 19 anos, a categoria Conto recebeu mais obras que Romance. E o balanço de todas as edições do Prêmio nos traz uma grande curiosidade: alcançamos a marca de quatro vencedores dos estados do Pará e Rio Grande do Sul, cada um, mostrando a força da nova literatura destas regiões”, destaca Henrique Rodrigues, analista de Literatura do Departamento Nacional do Sesc.

Sobre os autores:

O paraense Pedro Augusto Baía, 35 anos, é analista judiciário (psicólogo) no Tribunal de Justiça do Estado do Pará, com Doutorado em Psicologia Forense na Universidade de Coimbra. Nascido no município de Abaetetuba (PA), tem fascínio pela leitura e escrita desde a infância. “Comecei lendo livros escritos e publicados por autores independentes de minha cidade, em que o imaginário, a fauna, a flora e povos amazônicos são exaltados. A arte da escrita permaneceu comigo ao longo dos anos, amadurecendo. No ano de 2017, tive um conto premiado em um concurso regional promovido pelo TJ Pará, ocasião na qual finalmente passei a escrever com mais frequência”, relembra. Para ele, ganhar o Prêmio Sesc de Literatura, enquanto escritor estreante e residente em um município no Norte do Brasil, é um reconhecimento máximo.

“Acredito que irá potencializar o meu percurso literário e, sem dúvida alguma, de outros autores iniciantes”.

A gaúcha Taiane Santi Martins, 34 anos, da cidade de Vacaria (RS), é editora da revista Travessa em Três Tempos desde 2010. “Minha relação com a escrita vem de muito nova, mas precisei de tempo para assumir a literatura como uma escolha profissional. O primeiro passo foi criar uma revista literária, em 2010, ainda no contexto das minhas graduações e, na época, sem grandes pretensões literárias. Desde então a Travessa em Três Tempos vem se desenvolvendo junto comigo e hoje estamos fechando sua edição de número 24”, comemora. Para ela, ganhar o Prêmio é um reconhecimento pelo aprendizado e lugares por onde passou e viveu. “É a primeira vez que participo e me sinto honrada com o resultado, não apenas como uma conquista pessoal, mas por sentir que não chego até aqui sozinha. Trago comigo toda a vivência de uma formação em escrita; da Oficina de Criação do escritor Luiz Antonio de Assis Brasil; o acolhimento da UniLúrio, na Ilha de Moçambique, onde morei por um tempo durante a escrita do romance”.

 

17 de maio de 2022

Há muito temos debatido sobre a constituição de uma arte brasileira baseada em princípios brancos. Suas instituições, artistas, acervos e exposições, ao longo dos anos, apontaram e possibilitaram afirmações como essa. No entanto, intelectuais pretos da crítica, da curadoria e da história da arte tem se dedicado a construir novos horizontes para a escrita da arte no país. Estes e outros temas serão disparadores do debate reunindo o prof. Dr. Kleber Amancio e a curadora Diane Lima.

6 de maio de 2022

Projeto apresenta obras criadas no período da pandemia por meio de novas tecnologias

Entender o suporte digital como espaço de convívio, investir em inovadoras propostas virtuais de artistas brasileiros com transmissões diferenciadas e exibições em diversas plataformas on-line: essa será a tônica do Palco Giratório 2022.

O público vai ser apresentado a 12 obras cênicas digitais e 1 proposta de mediação cultural produzidas no período da pandemia de Covid 19. O Palco Giratório vai revisitar e permitir a experimentação de tais obras como oportunidade para refletir sobre os impactos dessas criações, que usaram meios digitais na produção cênica.

As transmissões serão diferenciadas, mas todas ocorrerão em ambiente virtual. São trabalhos que envolvem dança, circo, teatro e até games. Alguns deles reúnem várias manifestações artísticas, como a plataforma de streaming ‘PAN-PLAY’ (AM), contribuindo com a visibilidade de manifestações artísticas da região norte brasileira.

“Uma das marcas do Palco Giratório é a aposta em artistas e trabalhos que fazem mover ideias pelo Brasil. Hoje, mesmo com o retorno dos espetáculos de forma presencial, a proposta é revisitar experiências artísticas que abraçaram os meios digitais como instrumentos para manter viva a produção cênica brasileira no período mais severo do isolamento social. Nos interessa perceber como essas produções dialogarão com os públicos neste novo contexto. O que fica depois dessa vivência digital tão intensa?”, comenta Raphael Vianna, analista de cultura do Departamento Nacional do Sesc.

 

A programação do Palco Giratório 2022

O projeto será realizado em quatro etapas, entre maio e novembro. Em cada uma, três trabalhos serão apresentados. Além das exibições de espetáculos, haverá ‘ativações cênicas’, conversas digitais com os artistas antes da estreia dos trabalhos na programação, ‘intercâmbios’ online entre os artistas nacionais e locais, oficinas de crítica com o QUARTA PAREDE (PE), que percorrerá todas as etapas, e participará dos ‘Pensamentos Giratórios’, rodas de conversa que fecham cada etapa, onde os artistas desta edição debatem sobre os trabalhos e o cenário das artes cênicas.

O lançamento do Palco Giratório será com o espetáculo ‘(DES)MEMÓRIA’, de Yara de Novaes (MG), dia 11 de maio.  Este espetáculo tem a particularidade de ser um game, um jogo teatral virtual que se propõe a investigar o passado familiar e refletir sobre representatividade e embranquecimento no Brasil. O jogo fica hospedado no site do Teatro em Movimento até 31 de maio.

Ainda em maio, será a vez de ‘ARQUEOLOGIAS DO FUTURO’, de Mauricio Lima (RJ), exibido por meio da plataforma zoom. A peça-performance realiza uma arqueologia afetiva sobre 5 “artefatos” recolhidos na pesquisa para a criação do Museu dos Meninos. Maurício Lima evoca a figura do ator MC que, através de alguns desenhos e grafismos, realiza um depoimento a partir de memórias vividas e inventadas da sua infância e adolescência no Complexo do Alemão, território de origem do artista.

Esta edição contará com trabalhos cênicos bastante diferenciados, como ‘JUNTOS E SEPARADOS’, da Anti Status Quo Companhia de Dança (DF), que é uma performance em videoconferência ao vivo. Já em ‘TUDO QUE COUBE NUMA VHS’, do Grupo Magiluth (PE), a dramaturgia percorre múltiplas plataformas digitais e compõe para cada espectador uma experiência estética particular, na qual também ele opera como agente de construção. 

Em 2022 serão realizadas 162 apresentações artísticas e 200 ações formativas. Também ocorrerão apresentações de artistas e grupos locais, em formato digital ou presencial, nos estados brasileiros e no Distrito Federal. Ao longo do ano, será mobilizado um conjunto aproximado de 103 coletivos artísticos de todo o país.

A programação completa pode ser acessada clicando aqui

 

Diversidade presente no Palco Giratório

Além de todo o aspecto virtual e tecnológico deste ano, a força da diversidade se manteve no projeto. Ela está presente através da multiplicidade dos grupos artísticos, oriundos de várias regiões do Brasil, assim como nos formatos de exibição dos projetos, envolvendo circo, teatro e dança.

“A mudança de formato acontece, mas o olhar sobre a diversidade continua. Nesta edição, contaremos com artistas e produções de diversas linguagens e regiões brasileiras. Vamos ter websérie de palhaços, trabalhos imersivos no youtube e também com tecnologia 3D. Teremos trabalhos gravados, outros exigem interação do público de imediato. O que vimos é que a transmissão on-line e por redes amplia o acesso dos públicos em relação ao modelo pré-pandemia, que era sempre presencial.  A tecnologia permite um alcance maior das manifestações artísticas, que podem ser acessadas até do exterior”, explica Vicente Pereira Júnior, analista de cultura do Departamento Nacional do Sesc.

Para mais informações, acesse o site: www.sesc.com.br/palcogiratorio.

5 de maio de 2022

FAÇA O DOWNLOAD DA PROGRAMAÇÃO DO PALCO GIRATÓRIO AQUI.

Diante das mudanças conjunturais emergentes nos tempos atuais e afirmando mais uma vez a potência de vida e reinvenção promovida pelas artes da cena, a 24ª edição do Palco Giratório aposta nas possibilidades que as interfaces digitais trouxeram para as produções em circo, dança e teatro na contemporaneidade. Em 2022, a programação será composta por espetáculos e experiências artísticas que abraçaram os meios digitais como instrumentos e suportes criativos para a manutenção da produção cênica brasileira no período da pandemia de COVID-19.

Reconhecido como uma das principais políticas para a difusão das artes cênicas no país, o Palco Giratório 2022 ocorrerá prioritariamente de modo online, compreendendo as redes sociais, mídias e plataformas digitais como territórios férteis para o estabelecimento de intercâmbios com públicos cada vez mais diversificados, ampliando assim os canais de acesso à programação nacional.

Esta edição contará com 12 obras cênicas digitais e 1 proposta de mediação, trabalhos estes que desafiam enquadramentos mais limitados sobre o que pode ser entendido como circo, dança e teatro, apontando assim para compreensões expandidas sobre as possibilidades e os lugares das artes cênicas nos dias de hoje.  Em 2022 serão realizadas 162 apresentações artísticas e 200 ações formativas. Além dos Intercâmbios e Pensamentos Giratórios, inauguramos esse ano as Ativações Cênicas, conversas online com os artistas criadores dos trabalhos que integram essa edição, antes de sua estreia na programação nacional. Também ocorrerão apresentações de artistas e grupos locais, em formato digital ou presencial, observando os protocolos sanitários nos estados brasileiros e no Distrito Federal. Ao longo do ano, será mobilizado um conjunto aproximado de 103 coletivos artísticos de todo o país.

Até a presente edição, cerca de 5 milhões de pessoas já assistiram espetáculos dos mais diversos estados do país, contabilizando aproximadamente 11.000 apresentações em 1.746 cidades, entre Festivais, Aldeias e Mostras, consolidando uma imensa rede de profissionais e equipamentos culturais qualificados e mantidos pelo Sesc no território nacional.

PROGRAMAÇÃO

Etapa 1

(Des)Memória
Yara de Novaes (MG)

O espetáculo é um inédito jogo teatral virtual que investiga o passado familiar e propõe a reflexão sobre representatividade e embranquecimento no Brasil. O público age como um jogador e vai escolhendo como seguir em cada etapa, ouvindo e vendo cenas diversas e áudios de pessoas contando sobre a sua história e o embranquecimento da população.

11/5, às 16h
Lançamento do Palco Giratório com roda de conversa sobre o espetáculo.
Em youtube.com/SescBrasil

Disponível para acesso até 31 de maio em:
https://bit.ly/Des-memoria
https://bit.ly/Des-memoria-leg (com legenda)

Museu dos Meninos
Arqueologias do Futuro / Sem Título Para uma Radiocoreografia
Mauricio Lima (RJ)

“Museu dos Meninos – Arqueologias do Futuro” é uma peça-performance que realiza uma arqueologia afetiva sobre 5 “artefatos” recolhidos na pesquisa para a criação do Museu dos Meninos. Maurício Lima evoca a figura do ator MC que, através de alguns desenhos e grafismos, realiza um depoimento a partir de memórias vividas e inventadas da sua infância e adolescência no Complexo do Alemão, território de origem do artista.

“Museu dos Meninos – Sem título para uma radiocoreografia” é um experimento sonoro criado por Mauricio Lima, em colaboração com o diretor e dramaturgo Fabiano de Freitas e o artista multimídia Edgar, que propõe uma experiência coreográfica através das palavras, do som e da música, investigando outros regimes de visibilidade para corpos e territórios historicamente invisibilizados.

16/5, às 16h
Roda de conversa sobre o espetáculo
Em youtube.com/SescBrasil

17, 19 e 25/5 (Arqueologias do Futuro) e 18, 24 e 26/5 (Sem Título Para uma Radiocoreografia)
Arqueologias do Futuro
Sem título para uma radiocoreografia

Laboratório de Produção de Textos e Podcasts
Quarta Parede (PE)

Workshop online e gratuito voltado para a leitura, interpretação e análise crítica dos espetáculos da programação do Palco Giratório 2022, resultando na produção de conteúdo para internet nos formatos de texto e áudio. Ministrado por integrantes da equipe do Quarta Parede (PE), o workshop será composto por dois módulos com carga horária de 9h cada um.

No primeiro módulo (texto), os participantes terão contato com diversas concepções de crítica teatral, com foco nas práticas críticas contemporâneas e perpassando os territórios das representatividades de etnia, gênero e sexualidade. Ao longo dos encontros, os participantes

serão estimulados a produzir exercícios críticos textuais em torno dos espetáculos da programação do Palco Giratório 2022.

No segundo módulo (Podcast), serão apresentados os principais formatos de podcasts (entrevista, debate, storytelling etc.) e as etapas de produção sonora (roteiro, planejamento de produção, gravação e edição). Os participantes serão convocados a recriar os textos críticos produzidos no primeiro módulo para o formato de podcasts, adaptando-os a partir da escrita de roteiro, gravação e edição e podendo contar ainda com depoimentos dos integrantes dos espetáculos.

Ao final dos módulos, teremos um encontro de avaliação (com carga horária de 2h) sobre os exercícios de produção crítica na oficina como um todo, abordando a produção de pensamento sobre os espetáculos e os desafios e métodos de transcriação dos textos para o formato de podcasts.

16 a 18/5 e 23 a 25/5 e 27/5 de 19h às 22h (carga horária de 3h por aula).
Realização pela Plataforma Zoom.
Inscrições de 11 a 13/5 em https://cursos.sescpe.com.br/turma/laboratorio-de-producao-de-textos-de-podcasts-palco-giratorio/turma-1 

Pensamento Giratório
(Des)Memória (MG) e Museu dos Meninos (RJ). Mediação: Quarta Parede (PE)
30/5, às 16h
Em
youtube.com/SescBrasil

Etapa 2

Abian
Mayara Ferrão (BA)

Web espetáculo em 360º, produzido pelo estúdio criativo e selo musical GANA. O projeto discute o elo entre o sagrado, o profano e a ancestralidade viva através de uma epopeia decolonial, buscando traduzir imageticamente e sonoramente a conexão que existe entre o Òrun (o mundo espiritual) e o Àiyé (o mundo físico).

6/6, às 16h
Roda de conversa sobre o espetáculo
Em
youtube.com/SescBrasil

7 a 9/6 e 14 a 16/6, às 20h
Apresentações do espetáculo
Em youtube.com/SescBrasil

Homens Pink
La Vaca Companhia de Artes Cênicas (SC)

Performance documental solo de Renato Turnes que parte dos relatos de homens gays idosos para atualizar memórias de resistência e celebrar a experiência de sobreviventes.

27/6, às 16h
Roda de conversa sobre o espetáculo
Em 
youtube.com/SescBrasil

28 a 30/6 e 5 a 7/7, às 20h
Apresentações do espetáculo
Em
youtube.com/SescBrasil

Estudos de aproximação
Coletivo Instrumento de Ver (DF)

O espetáculo traz à luz questões para a reflexão sobre o distanciamento imposto pela pandemia, as aproximações que se fazem necessárias, os desafios e adaptações aos meios tecnológicos e digitais, bem como a bolha social criada para sobreviver ao flagelo atual. O coletivo circense Instrumento de Ver se lança em novos experimentos virtuais acompanhado de vidros, fios e as tecnologias, como mandinga, para trazer o público para mais perto.

18/7, às 16h
Roda de conversa sobre o espetáculo
Em
youtube.com/SescBrasil

19 a 21/7 e 26 a 28/7, às 20h
Apresentações pela Plataforma Zoom.
Retirada de ingresso antecipada em BREVE

Laboratório de Produção de Textos e Podcasts
Quarta Parede (PE)

Workshop online e gratuito voltado para a leitura, interpretação e análise crítica dos espetáculos da programação do Palco Giratório 2022, resultando na produção de conteúdo para internet nos formatos de texto e áudio. Ministrado por integrantes da equipe do Quarta Parede (PE), o workshop será composto por dois módulos com carga horária de 09h cada um.

No primeiro módulo (Texto), os participantes terão contato com diversas concepções de crítica teatral, com foco nas práticas críticas contemporâneas e perpassando os territórios das representatividades de etnia, gênero e sexualidade. Ao longo dos encontros, os participantes serão estimulados a produzir exercícios críticos textuais em torno dos espetáculos da programação do Palco Giratório 2022.

No segundo módulo (Podcast), serão apresentados os principais formatos de podcasts (entrevista, debate, storytelling etc.) e as etapas de produção sonora (roteiro, planejamento de produção, gravação e edição). Aqui, os participantes serão convocados a recriar os textos críticos produzidos no primeiro módulo para o formato de podcasts, adaptando-os a partir da escrita de roteiro, gravação e edição e podendo contar ainda com depoimentos dos integrantes dos espetáculos.

Ao final dos módulos, teremos um encontro de avaliação (com carga horária de 02h) sobre os exercícios de produção crítica na oficina como um todo, abordando a produção de pensamento sobre os espetáculos e os desafios e métodos de transcriação dos textos para o formato de podcasts.

13, 20 e 27/6 – 4, 11, 18, 25 e 30/7 (carga horária de 3h por aula)
Realização pela plataforma Zoom
Inscrições (até 9/6) em https://digital.sescpe.com.br/turma/laboratorio-de-producao-de-criticas-em-formato-de-texto-e-podcasts/turma-2 

PAN Play
PAN – Potência das Artes do Norte (AM)

A proposta de Cena Expandida PAN Play é o desenvolvimento de uma plataforma de streaming dedicada exclusivamente às produções da Região Norte, contribuindo com a visibilidade dos produtos artísticos nortistas em geral. Para o desenvolvimento do projeto visa-se entrecruzar ações do próprio programa Palco Giratório, ou seja, ações de residência e pensamento giratório que escoarão no lançamento do Pan Play.

6/6 – Lançamento de episódio do Podcast PAN Play

Pensamento Giratório
Estudos de Aproximação (DF), Homens Pink (SC) e Abian (BA).
Mediação: Quarta Parede (PE)
29/7, às 16h
Em
youtube.com/SescBrasil

Etapa 3

Juntos e Separados
Anti Status Quo Companhia de Dança (DF)

Performance em videoconferência ao vivo. Nove indivíduos, mediados pelas telas dos seus computadores, descobrem uma linguagem tecnológica, low fi, artesanal, doméstica, íntima, fragmentada, precária e lúdica ao interagir no ambiente multi telas. A partir de recursos tecnológicos disponíveis do aplicativo de reunião virtual e de objetos de suas casas e recortes de revistas, os bailarinos friccionam realidade e ficção na relação corpo-tela. A dramaturgia é uma crônica do momento e traz à tona temas e assuntos como a radicalização do uso da tecnologia, a relação com as telas e a distopia apocalíptica.

8/8, às 16h
Roda de conversa sobre o espetáculo

Em youtube.com/SescBrasil

9 a 11/8 e 16 a 18/8, às 16h
Apresentações do espetáculo

Em youtube.com/SescBrasil

Tudo que coube numa VHS
Grupo Magiluth (PE)

No espetáculo o público é conduzido por um percurso em que se torna cúmplice das memórias de um personagem, cristalizadas em torno das recordações sobre um relacionamento. A ação é acompanhada via web, por meio de uma série de plataformas virtuais de comunicação e entretenimento, como Whatsapp, Instagram, e-mail e Youtube, numa experiência individual que transporta a uma nova esfera as relações de proximidade entre ator e espectador.

22/8, às 16h Roda de conversa sobre o espetáculo
Em youtube.com/SescBrasil

23 a 25/8 e 6 a 8/9 – sessões com 5 pessoas por horário às 18h, 18h30, 19h, 19h30h, 20h e 20h30
Apresentações do espetáculo

Retirada antecipada de ingresso EM BREVE.

Atravessar-se Catavento
Companhia Circense (GO)

Livremente inspirado na vida e na obra de Cora Coralina, doceira que cristalizava doces para contar estórias de um modo diferente, este curta metragem de circo revela o singelo caminho de uma mulher que na travessia se forja da terra, de coragem, de medos, de angústias, e memórias. Menina, mulher e velha, são atemporais e narram uma travessia arriscada inspirada na memória dos quintais e becos da cidade de Goiás.

12/9, às 16h
Roda de conversa sobre o espetáculo

Em youtube.com/SescBrasil

13 a 15/9 e 20 a 22/9, às 20h
Apresentações do espetáculo
Em
youtube.com/SescBrasil

Laboratório de Produção de Textos e Podcasts
Quarta Parede (PE)

Workshop online e gratuito voltado para a leitura, interpretação e análise crítica dos espetáculos da programação do Palco Giratório 2022, resultando na produção de conteúdo para internet nos formatos de texto e áudio.

Ministrado por integrantes da equipe do Quarta Parede (PE), o workshop será composto por dois módulos com carga horária de 09h cada um.

No primeiro módulo (Texto), os participantes terão contato com diversas concepções de crítica teatral, com foco nas práticas críticas contemporâneas e perpassando os territórios das representatividades de etnia, gênero e sexualidade. Ao longo dos encontros, os participantes serão estimulados a produzir exercícios críticos textuais em torno dos espetáculos da programação do Palco Giratório 2022.

No segundo módulo (Podcast), serão apresentados os principais formatos de podcasts (entrevista, debate, storytelling etc.) e as etapas de produção sonora (roteiro, planejamento de produção, gravação e edição). Aqui, os participantes serão convocados a recriar os textos críticos produzidos no primeiro módulo para o formato de podcasts, adaptando-os a partir da escrita de roteiro, gravação e edição e podendo contar ainda com depoimentos dos integrantes dos espetáculos.

Ao final dos módulos, teremos um encontro de avaliação (com carga horária de 02h) sobre os exercícios de produção crítica na oficina como um todo, abordando a produção de pensamento sobre os espetáculos e os desafios e métodos de transcriação dos textos para o formato de podcasts.

15,22 e 29/8 – 5,12,19 e 26/9 (carga horária de 3h por aula)
Realização pela plataforma Zoom
Inscrições antecipadas em BREVE

PAN Play
PAN – Potência das Artes do Norte (AM)

A proposta de Cena Expandida PAN Play é o desenvolvimento de uma plataforma de streaming dedicada exclusivamente às produções da Região Norte, contribuindo com a visibilidade dos produtos artísticos nortistas em geral. Para o desenvolvimento do projeto visa-se entrecruzar ações do próprio programa Palco Giratório, ou seja, ações de residência e pensamento giratório que escoarão no lançamento do Pan Play.

8/8 – Lançamento de episódio do Podcast PAN Play

Pensamento Giratório
Atravessar-Se (GO), Tudo que coube numa VHS (PE) e Juntos e Separados (DF)
Mediação: Quarta Parede (PE)
23/9, às 16h
Em
youtube.com/SescBrasil

Etapa 4

Os pequenos mundos
Eranos Círculo de Arte (SC)

Em Os Pequenos Mundos, as crianças são levadas a uma aventura por mundos de fantasia feitos de caixas de papelão. A narrativa é conduzida por bonecos de teatro de animação e propõe uma experiência teatral interativa, valorizando a participação das crianças e dos pais, que recebem previamente um tutorial com orientações para preparação de um espaço cenográfico e objetos em casa, que serve como ambientação para a experiência teatral.

3/10, às 16h
Roda de conversa sobre o espetáculo

Em youtube.com/SescBrasil

4 a 6/10 e 11 a 13/10, às 16h
Apresentações pela Plataforma Zoom.
Retirada de ingresso antecipada em BREVE

Metrópole On-Line
Arte para Alimentar Inquieta Cia (CE)

Experiência cênico-virtual, com transmissão em tempo real através da plataforma Instagram, essa montagem expande proposições poéticas, entre especialidades domésticas, urbanas e virtuais, para mostrar as tensões entre dois irmãos, Caetano (Silvero Pereira) e Charles (Gyl Giffony), que decidem romper o distanciamento que vinham mantendo um do outro. Por entre janelas do contato virtual, eles movem-se por passados, presentes e futuros do quanto a vida e a arte podem pulsar, ou não, numa cidade.

14/11, às 16h
Roda de conversa sobre o espetáculo

Em youtube.com/SescBrasil

15 a 17 e 22 a 24/11, às 20h
Apresentações do espetáculo
Em
instagram.com/SescBrasil

Laboratório de Produção de Textos e Podcasts
Quarta Parede (PE)

Workshop online e gratuito voltado para a leitura, interpretação e análise crítica dos espetáculos da programação do Palco Giratório 2022, resultando na produção de conteúdo para internet nos formatos de texto e áudio. Ministrado por integrantes da equipe do Quarta Parede (PE), o workshop será composto por dois módulos com carga horária de 09h cada um.

No primeiro módulo (Texto), os participantes terão contato com diversas concepções de crítica teatral, com foco nas práticas críticas contemporâneas e perpassando os territórios das representatividades de etnia, gênero e sexualidade. Ao longo dos encontros, os participantes serão estimulados a produzir exercícios críticos textuais em torno dos espetáculos da programação do Palco Giratório 2022.

No segundo módulo (Podcast), serão apresentados os principais formatos de podcasts (entrevista, debate, storytelling etc.) e as etapas de produção sonora (roteiro, planejamento de produção, gravação e edição). Aqui, os participantes serão convocados a recriar os textos críticos produzidos no primeiro módulo para o formato de podcasts, adaptando-os a partir da escrita de roteiro, gravação e edição e podendo contar ainda com depoimentos dos integrantes dos espetáculos.

Ao final dos módulos, teremos um encontro de avaliação (com carga horária de 02h) sobre os exercícios de produção crítica na oficina como um todo, abordando a produção de pensamento sobre os espetáculos e os desafios e métodos de transcriação dos textos para o formato de podcasts.

3,10,17,24 e 31/10 – 7 e 28/11 (carga horária de 3h por aula)
Realização pela plataforma Zoom
Inscrições antecipadas em BREVE

Pra Fazer Papel de Palhaço – Brasil Afora
Ricardo Gadelha (RJ)

Websérie que tem como objetivo apresentar um panorama histórico da arte circense através da abordagem de elementos e técnicas fundamentais da palhaçaria. Na temporada – Brasil Afora, homenageia importantes mestras e mestres que são referências para o desenvolvimento da palhaçaria brasileira, difundindo de forma documental a história e o legado estético-artístico de criadores que representam as cinco regiões do Brasil: Hotxuás (Norte), Mestre Martelo (Nordeste),Mestre Zezito (Centro-Oeste), Palhaço Alegria (Sudeste) e Palhaço Biriba (Sul).

4/10, às 16h
Roda de conversa sobre a websérie

Em youtube.com/SescBrasil

11, 18 e 25/10 e 1/11, às 20h.
Apresentações dos episódios
Em
youtube.com/SescBrasil

PAN Play
PAN – Potência das Artes do Norte (AM)

A proposta de Cena Expandida PAN Play é o desenvolvimento de uma plataforma de streaming dedicada exclusivamente às produções da Região Norte, contribuindo com a visibilidade dos produtos artísticos nortistas em geral. Para o desenvolvimento do projeto visa-se entrecruzar ações do próprio programa Palco Giratório, ou seja, ações de residência e pensamento giratório que escoarão no lançamento do Pan Play.

27/10, às 20h
Roda de conversa sobre a plataforma e lançamento com o espetáculo Filho de Maria

Em youtube.com/SescBrasil

Lançamentos na Plataforma PAN Play:
02/11 – Making Off – Filhos de Maria
03/11 – Série Teatro com espetáculos do AM
05/11 – Making Off de criação da plataforma – Especial de Natal
09/11 – Série Diretores e Atrizes
10/11 – Videocast

Pensamento Giratório
Pan Play (AM), Pra fazer papel de Palhaço (RJ), Os Pequenos Mundos (SC) e Metrópole On-Line (CE).
Mediação: Quarta Parede (PE)
25/11, às 16h
Em
youtube.com/SescBrasil

>>> SAIBA MAIS SOBRE O PROJETO EM SESC.COM.BR/PALCOGIRATORIO

20 de abril de 2022

Diogo Monteiro e Fábio Horácio-Castro percorrerão mais de 30 cidades ao longo do ano

 

O Prêmio Sesc de Literatura retomou o projeto de circuito presencial com os vencedores da edição de 2021. O paraense Fabio Horácio-Castro e o pernambucano Diogo Monteiro passarão ao longo do ano por mais de 30 cidades do Brasil para se encontrar com o público leitor. Na agenda de viagens, bate-papos sobre suas obras: o romance O réptil melancólico e a coletânea de contos O que a casa criou.

“O circuito anual de viagens pelo país é um trabalho que o Prêmio Sesc oferece para aproximar os escritores dos leitores. Retomamos os encontros presenciais porque o arrefecimento da pandemia está permitindo essa proximidade”, avalia Henrique Rodrigues, analista de Literatura do Departamento Nacional do Sesc. Em 2021, foram realizados mais de 80 encontros com clubes de leitura em formato on-line com os vencedores do ano anterior.

A previsão é finalizar a jornada em novembro, na cerimônia de lançamento dos livros vencedores de 2022. Para Diogo, o circuito representa mais do que ajudar na divulgação do livro. “Creio que os encontros vão trazer uma experiência muito rica, que é conhecer leituras, as mais diversas, por todo o país. Me enxergar pelos olhos dos leitores e misturar a experiência deles com a minha, de escritor e leitor”.

Fabio considera que o circuito possibilita o contato e o diálogo com leitores. “O poder de alcance do Sesc no território brasileiro permite uma disseminação da literatura e do nosso trabalho e, ao mesmo tempo, uma aprendizagem das diferentes cenas literárias do país. Creio que participar do circuito é importante porque materializa o fim último da ação literária, que é a troca, o diálogo”.

O Prêmio Sesc de Literatura abre espaço para autores inéditos, com a publicação e a distribuição de suas obras pela Editora Record, parceira da Instituição no projeto. Em 18 anos de atuação, diversos autores dos mais variados pontos do país foram descobertos e se consolidaram na literatura nacional, entre eles Juliana Leite, Rafael Gallo, Luisa Geisler, André de Leones, Franklin Carvalho, Sheyla Smanioto, Tobias Carvalho e Lucia Bettencourt.

Confira a agenda de viagens:

Abril

Paraty (RJ)
Recife/Surubim (PE)
Aracaju/Nossa Senhora do Socorro (SE)

 

Maio

Crato (CE)
Parnaíba/Teresina (PI)
Poços de Caldas/Contagem/Montes Claros/Uberlândia (MG)

Junho

Rio Grande do Sul
Boavista (RR)
Poconé (MT)

 

Julho

Paraty (RJ) – Festival Arte da Palavra – Farpa
São Paulo (SP) – Bienal do Livro
Vitória (ES)

 

Agosto

Londrina / Apucarana / Bela Vista do Paraíso / Cornélio Procópio / Jacarezinho (PR)
Vitória (ES)

 

Setembro

Recife / Caruaru / Belo Jardim / Arcoverde / Garanhuns (PE)
Feira de Santana (BA)

 

Outubro

Rio de Janeiro (RJ)
Porto Velho (RO)
Tubarão / Florianópolis / Joinvile / Mafra (SC)

 

Novembro

Maceió (AL)
Cuiabá (MT)
Belém (PA)
Campina Grande (PB)
Rio de Janeiro (RJ)
São Paulo (SP) – Lançamento dos livros vencedores de 2022

 

Dezembro

Tubarão / Florianópolis / Joinvile / Mafra (SC)

1. Quantas propostas serão selecionadas pelo Prêmio Sesc de Artes Cênicas?
Serão selecionadas 5 propostas: 01 (uma) proposta no valor de R$ 100.000,00 (Categoria 1), considerando a realização de 01 (um) espetáculo; 02 (duas) propostas no valor de R$ 70.000,00 (Categoria 2) cada, considerando a realização de 02 (dois) espetáculos; e 02 (duas) propostas no valor de R$ 50.000,00 (Categoria 3) cada, considerando a realização de 02 (dois) espetáculos.

2. Posso enviar meu projeto por correio, e-mail ou entregar em uma Unidade?
Não. Todo o processo de inscrição se dará exclusivamente online e NÃO serão aceitas propostas por outros meios como correio ou e-mail, tampouco entrega direta em Unidades do Sesc.

3. Posso me candidatar em mais de uma categoria ou enviar mais de uma proposta?
Não. Cada proponente poderá submeter apenas uma inscrição em apenas uma das categorias. É possível apenas 01 (uma) inscrição por CNPJ.

4. Posso fazer inscrição como Pessoa Física?
Não. As inscrições deverão ser feitas EXCLUSIVAMENTE por Pessoa Jurídica, legalmente qualificadas para produção de espetáculos teatrais, conforme Anexo I do edital do Prêmio Sesc de Artes Cênicas.

5. Sou MEI (Microempreendedor Individual), posso participar da convocatória?
Sim, desde que legalmente qualificados para produção de espetáculos teatrais, conforme Anexo I do edital do Prêmio Sesc de Artes Cênicas.

6. Proponentes de todos os Estados brasileiros podem se inscrever?
Sim. O Prêmio Sesc de Artes Cênicas é de abrangência nacional e incentiva a participação de artistas e coletivos de artes cênicas residentes em todos os Estados do país, desde que cumpram os termos do edital.

9. Tenho vínculo familiar de segundo grau com um empregado do Sesc, posso me inscrever?
Não. É vetada a participação de funcionários, estagiários e familiares em até segundo grau de empregados do Sesc, Senac, Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) e Federações do Comércio.

10. Como saberei se minha inscrição foi efetivada?
Após salvar a inscrição ao fim do preenchimento, o formulário confirma a efetivação da mesma.

11. É possível salvar minha inscrição para continuar o preenchimento depois?
O formulário de inscrições não salva as informações durante o preenchimento, sendo necessário realizar o preenchimento completo e salvar a inscrição para que as informações fiquem registradas no sistema. Caso o proponente não feche o navegador (browser) até a conclusão da inscrição, as informações não serão perdidas. Há necessidade de conexão com a internet quando o candidato clicar para salvar a inscrição, ao fim do preenchimento. Recomendamos ao proponente salvar suas respostas em um arquivo em separado, para evitar perda de conteúdos.

12. A inscrição garante a minha contratação?
Não. Sua proposta será submetida a uma comissão que selecionará entre as propostas inscritas na categoria aquelas que serão contratadas, com base nos critérios de pontuação mencionados no edital.

13. Caso minha proposta seja selecionada para contratação, o que devo fazer?
Você deverá aguardar o contato do Sesc, que solicitará a documentação obrigatória, conforme anexo I do edital, e a comprovação dos dados informados na proposta inscrita para efetivar a contratação.

14. Posso alterar a minha inscrição depois de enviada?
Não. Depois de concluída, a proposta não poderá ser modificada, sendo necessária muita atenção no processo de inscrição.

15. Caso seja contemplado e contratado, quando receberei o recurso do prêmio?
O pagamento do valor correspondente à categoria em que a proposta foi inscrita será realizado em 4 etapas: 25% do recurso financeiro quando da assinatura do contrato; 25% do recurso financeiro quando do início dos ensaios do espetáculo; 25% do recurso financeiro quando da estreia do espetáculo; 25% do recurso financeiro quando do cumprimento da temporada.

16. Devo enviar algum documento para o contrato agora?
Não. Os selecionados deverão aguardar o contato do Sesc que solicitará a documentação obrigatória a e a comprovação dos dados informados na proposta inscrita para efetivar a contratação. A solicitação será realizada posteriormente e por meio digital, apenas aos selecionados.

17. A proposta de espetáculo precisa ser inédita?
Sim. O Prêmio Sesc de Artes Cênicas tem por objeto a seleção de 5 (cinco) propostas de montagens cênicas para a produção de espetáculos INÉDITOS a serem apresentados em espaços do Sesc ou em equipamentos culturais parceiros.

18. Existe um período limite para realização da estreia e temporada dos espetáculos produzidos?
O cronograma de montagem das propostas cênicas deve prever o período de 4 meses para o desenvolvimento dos espetáculos em teatros. Nestes 04 meses estão incluídos o prazo de estreia e a realização de 03 apresentações até o dia 4 de dezembro de 2022.

19. Como comprovo que possuo autorização para utilização de obra de terceiros na minha proposta?
O proponente deverá mencionar no ato da inscrição quais obras de terceiros serão utilizadas e se já estão autorizadas para uso. Em caso de contemplação, deverá enviar ao Sesc, junto à documentação obrigatória, documento assinado pelo detentor dos direitos da obra que comprove a autorização.

20. A minha proposta cabe em mais de uma categoria. Como devo fazer?
Você deve escolher a opção que mais se aproxima às características da sua proposta.

21. Posso cancelar a minha inscrição para realizar uma nova?
Não. As inscrições finalizadas não podem ser canceladas. Por isso, recomendamos atenção no momento de inscrição.

22. Quando será divulgado o resultado?
A divulgação do resultado provisório está prevista para 31 de maio de 2022 e do resultado final para 21 de junho de 2022, exclusivamente pelo site https://www2.sesc.com.br/portal/sesc/departamentonacional/licitacoes/registros/0001+22+premio+sesc+de+artes+cênicas

18 de abril de 2022

Prêmio Sesc de Artes Cênicas vai apoiar a montagem de espetáculos inéditos

Como forma de incentivar o setor cultural do país, o Sesc lança nessa segunda-feira (18) uma premiação para estimular a produção de espetáculos teatrais. O Prêmio Sesc de Artes Cênicas vai selecionar trabalhos inéditos, que receberão recursos destinados ao apoio da montagem. Ao contribuir com a produção de novos espetáculos, o Sesc incentiva o setor artístico brasileiro e movimenta este cenário cultural, que começa agora a se recuperar, depois de dois anos de pandemia. O valor total de R$ 340 mil será distribuído entre várias categorias e os interessados poderão se inscrever até o dia 8 de maio.

>>> CLIQUE AQUI E INSCREVA-SE

Artistas, produtores e coletivos de teatro, dança circo e outras modalidades de manifestações cênicas, que têm obras inéditas, poderão inscrever seus projetos. Eles serão enquadrados de acordo com a complexidade da produção. Ao todo, cinco propostas serão contempladas, sendo uma no valor de R$ 100 mil; duas com prêmio de R$ 70 mil; e outras duas com R$ 50 mil cada. Os criadores deverão indicar a categoria que melhor se adequa ao seu projeto.

“O Prêmio Sesc de Artes Cênicas é um divisor de águas para a instituição. A iniciativa marca a atuação do Sesc no fomento às artes cênicas, apoiando a criação e viabilizando a montagem de espetáculos ainda não apresentados”, comemora Lucia Prado, Diretora de Programas Sociais do Departamento Nacional do Sesc. “O projeto busca assim contribuir com a retomada de atividades do setor artístico no país e com o processo de reabertura dos teatros da instituição, que ficaram fechados durante a pandemia, proporcionando ao público o acesso a experiências culturais inéditas produzidas por artistas residentes em seus Estados”, conta.

As produções inscritas no prêmio serão avaliadas pela comissão de seleção composta por profissionais do Sesc que atuam no planejamento e desenvolvimento da programação cultural da instituição. As propostas selecionadas terão quatro meses para montagem dos espetáculos, considerando a estreia e realização de três apresentações em teatros do Sesc ou equipamentos culturais parceiros a serem definidos.

5 de abril de 2022

O Sesc promove este ano uma ampla reflexão em torno da identidade brasileira e as relações entre os diferentes grupos étnicos que constituem o país. O projeto Dos Brasis: arte e pensamento negro tem a proposta de pesquisar, fomentar e difundir a produção artística, intelectual, e visual contemporâneas de artistas e pesquisadores afro-brasileiros. O evento de lançamento será realizado no Teatro Sesc Senac Pelourinho, em Salvador (BA). Na ocasião, será anunciada a abertura das inscrições para seleção de pesquisadores que participarão de uma residência artística on-line. O projeto Dos Brasis tem curadoria do professor e Doutor em Artes Visuais Igor Simões e do curador e antropólogo Hélio Menezes. Durante o evento de lançamento, eles apresentam a metodologia de pesquisa do projeto e conduzem uma roda de conversa com os convidados Nelma Barbosa, coordenadora geral da rede de Núcleos de Estudos Afro-brasileiros e Indígenas do Instituto Federal Baiano, e Ayrson Heráclito, artista, curador, pesquisador e professor da Universidade Federal do Recôncavo Baiano.

O evento de lançamento do projeto Dos Brasis foi realizado no Teatro Sesc-Senac Pelourinho, em Salvador (BA). O projeto tem curadoria do professor e Doutor em Artes Visuais, Igor Simões, e do curador e antropólogo, Hélio Menezes. Durante o evento, eles apresentaram a metodologia de pesquisa do projeto e conduziram uma roda de conversa com os convidados Nelma Barbosa, coordenadora geral da rede de Núcleos de Estudos Afro-brasileiros e Indígenas do Instituto Federal Baiano, e Ayrson Heráclito, artista, curador, pesquisador e professor da Universidade Federal do Recôncavo Baiano.

4 de abril de 2022

Sesc abre inscrições para agentes culturais. Programa de pesquisa, intercâmbio e criação em artes visuais reunirá artistas, curadores, críticos, teóricos e educadores para estimular trocas, experimentações e reflexões sobre a produção negra. 

Lançado em fevereiro deste ano, em Salvador (BA), o projeto Dos Brasis: arte e pensamento negro avança para mais uma etapa. Serão abertas, a partir do dia 8 de abril, as inscrições para o Pemba: Residência Preta, um programa de pesquisa, intercâmbio e criação em artes visuais que selecionará até 150 agentes culturais de todas as regiões do Brasil nas categorias artistas, curadores, críticos, teóricos e educadores. Com curadoria do professor e Doutor em Artes Visuais Igor Simões e do curador e antropólogo Hélio Menezes, Dos Brasis tem a proposta de pesquisar, fomentar e difundir a produção artística intelectual e visual contemporâneas de artistas e pesquisadores afro-brasileiros, evidenciando suas técnicas, histórias e correlações socioculturais. As inscrições foram prorrogadas até o dia 25/4, às 18h (horário de Brasília).

“O engajamento da área de Artes Visuais do Sesc em uma ampla reflexão em torno da identidade brasileira e das relações entre os diferentes grupos étnicos que constituem o país é fundamental para promover a pluralidade da nossa cultura. Para isso, desenvolvemos esse projeto que trará mais espaço e visibilidade à produção preta”, explica Lúcia Prado, Diretora de Programas Sociais do Departamento Nacional do Sesc.

>>> Clique aqui e inscreva-se.

Durante o período da residência serão realizados encontros on-line semanais com orientadores e atividades públicas, entre maio e agosto deste ano, com carga horária de 40 horas. Serão abordados temas como ‘Histórias da Arte’; ‘Curadoria e Raça na Arte Brasileira’; ‘Os Educativos como Plataforma de Pensamento sobre Arte e Racialização’; ‘Arte Brasileira, Racialização, Dissidências’; e ‘Mulheres Negras e Arte Contemporânea Brasileira’.

A Pemba: Residência Preta é ao mesmo tempo um celeiro de pesquisa dessa produção no campo das artes visuais e também um lugar que prevê o desenvolvimento de processos de criação que partem da troca entre esses diferentes agentes, permitindo olhares críticos sobre os processos particulares. Os trabalhos terão orientação dos artistas/pesquisadores Yhuri Cruz, Juliana dos Santos, Rafael Bqueer, Ariana Nuala e Renata Sampaio. Também estão previstas aulas públicas com Kleber Amancio, Diane Lima, Rosana Paulino, Denise Ferreira da Silva, Rosane Borges, Castiel Vitorino, Renata Bitencourt e Renata Sampaio.

Além da residência artística, o projeto Dos Brasis prevê para 2023 uma exposição coletiva com obras de artistas visuais originários de todos os estados. Haverá ainda a produção de materiais educativos voltados à formação de educadores e com representativo de experiências educacionais de todo o país, além de uma publicação vinculada ao projeto com o resultado das pesquisas em cada unidade da federação. Futuramente, a mostra desenvolvida integrará o circuito de exposições do Sesc e deve circular pelas mais de 60 galerias que compõem a Rede Sesc de Artes Visuais por meio do Arte Sesc.